Inflação em Portugal volta a subir em março e chega aos 5,3%

A pressão nos preços em Portugal continua a agravar-se, com o conflito na Ucrânia a contribuir para este resultado, que é um novo máximo desde 1994. A inflação subjacente chegou aos 3,8%, enquanto a dos produtos energéticos subiu até aos 19,8%.

A inflação em Portugal voltou a subir em março, de acordo com a estimativa rápida do INE conhecida esta quinta-feira, tendo o indicador de preços acelerado até aos 5,3% em termos homólogos. Este é um novo máximo desde junho de 1994, depois de a leitura de fevereiro ter fixado um novo pico não registado desde outubro de 2011.

Descartando os produtos energéticos e alimentares, a taxa de inflação subjacente deverá ter ficado nos 3,8%, o que também representa uma subida em relação aos 3,2% registados na leitura anterior.

Ao mesmo tempo, a variação de preços na energia foi de 19,8%, naquele que é o principal determinante da inflação global. Em fevereiro, este subindicador havia ficado nos 14,98%. Já no que respeita aos produtos alimentares não-transformados, estes aceleraram 5,9%, bem acima dos 3,7% de fevereiro.

Todos os subindicadores do índice de preços no consumidor (IPC) aceleraram no período em análise, sublinhando a pressão generalizada nos preços em Portugal.

A pressão nos preços continua a verificar-se na zona euro e Portugal, apesar de ter verificado consistentemente das taxas mais baixas no último meio ano, começa a registar uma clara aceleração do indicador. A situação na Ucrânia agravou a situação, mas as perturbações logísticas globais e a crise energética vinham já revelando uma tendência ascendente da inflação.

O Banco de Portugal atualizou recentemente as suas previsões para a taxa de inflação este ano, revendo em significativa alta dos 1,8% para os 4%. Já o Conselho de Finanças Públicas projeta uma inflação de 3,9% no final do ano.

[notícia atualizadas às 11h11]

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.
Comentários