Inflação na Alemanha sobe para 7,9% em agosto o nível mais alto em quase meio século

A taxa de inflação homóloga na maior economia da Europa tinha igualmente atingido os 7,9% em maio, a mais alta desde o inverno de 1973-1974, quando os preços foram impulsionados pela crise do petróleo, tendo recuado em julho para 7,5%.

3 – Alemanha

A taxa de inflação anual na Alemanha subiu em agosto para 7,9%, o nível mais alto em quase meio século, depois dos 7,5% em julho, anunciou hoje o Departamento Federal de Estatística (Destatis).

A taxa de inflação homóloga na maior economia da Europa tinha igualmente atingido os 7,9% em maio, a mais alta desde o inverno de 1973-1974, quando os preços foram impulsionados pela crise do petróleo, tendo recuado em julho para 7,5%.

Como em outros países em todo o mundo, a inflação na Alemanha foi impulsionada pela guerra na Ucrânia, que levou a um aumento nos preços da energia e a uma subida nos preços dos alimentos.

O instituto alemão referiu ainda que os preços da energia tiveram um aumento homólogo de 35,6% em agosto, enquanto os preços dos alimentos subiram 16,6%.

Além disso, os efeitos da interrupção nas cadeias de fornecimento causadas pela pandemia de covid-19 ainda estão a fazer-se sentir, o que induz à subida dos preços.

O banco central alemão, Bundesbank, referiu na semana passada no seu relatório mensal que “a taxa de inflação pode subir para cerca de 10% no outono”, embora tenha dito ainda que as perspetivas para a inflação são “extremamente incertas”.

Recomendadas

Cinco milhões para ações de emergência na serra da Estrela até final do ano

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, Duarte Cordeiro, disse que o Fundo Ambiental disponibiliza, até ao final do ano, cerca de cinco milhões de euros para ações de emergência.

Costa Silva: Próximos anos não vão ser “cor-de-rosa” para a economia portuguesa

António Costa Silva, ministro da Economia, afirma que “não é com receitas do passado que vamos resolver os problemas”, defendendo que “para resolver os problemas de curto prazo, precisamos de uma visão de longo prazo”.

Dionísio Pestana pede reforma dos impostos como apoio às empresas

O presidente do Grupo Pestana afirma não precisar de ajudas diretas, perante o cenário de incerteza, mas pede ao Governo que avance com uma reforma nos impostos, apontando para a TSU.
Comentários