Inflação na China fixa-se em 2,1% em abril

O índice de preços ao consumidor (IPC), o principal indicador da inflação na China, aumentou 2,1%, em abril, em termos homólogos, segundo dados oficiais divulgados hoje pelo Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) do país.

1 – China

O índice de preços ao consumidor (IPC), o principal indicador da inflação na China, aumentou 2,1%, em abril, em termos homólogos, segundo dados oficiais divulgados hoje pelo Gabinete Nacional de Estatísticas (GNE) do país.

O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que mede os preços nas vendas por grosso, cresceu 8%, de acordo com a mesma fonte.

O IPC avançou 1,5% em março, mês em que o IPP subiu 8,3%, pelo que os dados de abril representam uma subida de 0,6%, no caso do primeiro, e uma contração de 0,3%, no segundo.

Em ambos os indicadores o resultado é superior ao esperado pelos analistas, que previam um aumento de 1,8% no IPC e de 7,7% no IPP.

Segundo o GNE, os preços ao consumidor foram afetados pelas restrições impostas pelas autoridades para conter surtos de covid-19 e pelo aumento dos preços internacionais das matérias-primas. Este último fator também explica a evolução do IPP.

Em março, as autoridades mantiveram a meta de 3% para o avanço do IPC em 2022.

Recomendadas

“Senhor PRR” alerta que guerra e inflação são riscos acrescidos ao plano

O novo presidente da Comissão Nacional de Acompanhamento do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) considera que a guerra na Ucrânia e a inflação são riscos acrescidos ao plano que precisam de estratégias para serem mitigados.

Pedro Dominguinhos é o novo presidente da comissão de acompanhamento do PRR

A Comissão Nacional de Acompanhamento do PRR era presidida por António Costa Silva, que entretanto tomou posse como ministro da Economia e do Mar no atual Governo.

PremiumIndefinição no SEF gera críticas pela degradação do serviço

Novo adiamento da extinção do SEF leva partes interessadas a questionarem a degradação dos serviços. Agendamentos para reagrupamento familiar chegam a demorar um ano a marcar.
Comentários