Inflação. Preços de produtos não alimentares continuam a atingir famílias portuguesas

No mês passado, aumentou em quatro euros o preço de um cabaz de produtos não alimentares, que se fixa agora nos 184,34 euros, de acordo com os cálculos do comparador de preços.

O preço de um cabaz de produtos não alimentares subiu cerca de quatro euros desde o mês passado, depois de um aumento de 17 euros nos quatro meses anteriores, de acordo com cálculos do comparador de preços especializado KuantoKusta, revelados num press release.

A inflação registada em maio foi de 8% (depois dos 7,2% registados no mês anterior), com o impacto no bolso dos portugueses a fazer-se notar em várias frentes e os produtos não alimentares não são exceção.

O cabaz analisado pelo Kuantokusta apresentava, no dia 11 de maio, o preço de 180,24 euros. Um aumento de 16,95 euros (+10,65%) em comparação com o seu custo a 11 de fevereiro. Atualmente, o mesmo cabaz custa 184,34 euros, o que representa um aumento de 4,10 euros (+2,22%) face ao mês anterior.

Foram incluídos na análise produtos como ração animal, champô, gel de banho, desodorizante, pasta de dentes, analgésicos, espuma de barbear, protetores solares e produtos de nutrição para bebés. Entre os produtos que mais aumentaram, destacam-se as lâminas de gillete para mulher (+35,15%), espuma de barbear (+32,07%) e máscara para cabelo (+22,06%).

Recomendadas

Em direto. Acompanhe aqui o Fórum BCE

Tem início esta terça-feira o fórum anual do BCE. Acompanhe a transmissão em direto do evento que decorre em Sintra.

Lagarde sublinha necessidade de manter “gradualismo e condicionalidade” na política monetária

A presidente do BCE reforçou o compromisso do banco com o alívio da inflação e com a “adequada transmissão de política monetária”, sublinhando a necessidade de evitar uma fragmentação das dívidas soberanas da zona euro.

Revista de imprensa internacional: as notícias que estão a marcar a atualidade global

46 corpos de migrantes encontrados dentro de camião no Texas; Líderes mundiais condenam “abominável” ataque russo a centro comercial ucraniano; Número de mortos após ataque a centro comercial em Kremenchuk sobe para 18.
Comentários