Inflação sobre para 0,9% em setembro

A variação homóloga do IPC (Índice de Preços no Consumidor) situou-se, em setembro de 2015, em 0,9%, taxa superior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior. O indicador de inflação subjacente, correspondente ao índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 1,1% (0,7% no mês anterior). […]


Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 1 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

Notice: Undefined offset: 2 in /var/www/vhosts/jornaleconomico.pt/httpdocs/wp-includes/media.php on line 1031

A variação homóloga do IPC (Índice de Preços no Consumidor) situou-se, em setembro de 2015, em 0,9%, taxa superior em 0,2 pontos percentuais (p.p.) à registada no mês anterior.

O indicador de inflação subjacente, correspondente ao índice total excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou uma variação homóloga de 1,1% (0,7% no mês anterior). Por
classes de despesa é de destacar o aumento da taxa de variação homóloga do Vestuário e calçado (classe 3), que passou de -2,6% em agosto para -0,2% em setembro, refere o Instituto Nacional de Estatística (INE) em nota divulgada hoje, 12 de outubro.

A analista do Millennium bcp, Márcia Rodrigues, diz os preços seguem “contrariando a tendência de queda que se observa na generalidade dos países da área do euro, cuja inflação agregada foi -0,1%”.

“Esta diferença reflete os efeitos ascendentes sobre os preços associados à recuperação da atividade económica e ao agravamento da fiscalidade de determinados bens, enquanto na área do euro a taxa de inflação tem vindo a ser significativamente afetada pela queda do preço do petróleo”, adianta Márcia Rodrigues.

A variação mensal do IPC foi 0,8% (-0,3% no mês precedente e 0,6% em setembro de 2014). A variação média dos últimos doze meses situou-se em 0,3% (0,2% no mês anterior).

O Índice Harmonizado de Preços no Consumidor (IHPC) português registou uma variação homóloga de 0,9%, taxa superior em 0,2 p.p. à verificada no mês anterior e superior em 1,0 p.p. ao estimado pelo Eurostat para a área do Euro (diferença superior em 0,4 p.p. à registada em agosto). A taxa de variação mensal do IHPC situou-se em 0,7% (-0,1% no mês anterior e 0,5% em setembro de 2014) e a taxa de variação média dos últimos doze meses foi 0,4% (0,3% em agosto).

Carlos Caldeira/OJE

Recomendadas

PremiumEUA e zona euro vão ter uma “aterragem dura” na pista da recessão no próximo ano

A subida das taxas de juro para controlar a inflação vai ter forte impacto na economia em 2023. Alemanha afunda acima da média, com China a crescer acima do previsto.

PremiumJoão Caiado Guerreiro: “Os vistos gold têm sido extremamente positivos para o país”

Área de Imigração deverá continuar a ser das mais dinâmicas da Caiado Guerreiro, apesar do anunciado fim dos vistos ‘gold’. Processo para cobrar cinco milhões de euros em honorários à Pharol vai a julgamento em fevereiro.

Custo de cabaz alimentar de bens básicos aumentou 21% para adultos num ano, diz BdP

O banco central revela que entre outubro de 2021 e outubro de 2022, o custo mensal médio e mediano de um cabaz básico de consumo alimentar para um adulto com cerca de 40 anos aumentou 21% e 24%, respetivamente.