Infraestruturas de Portugal lançam concurso para estudar acessibilidades ao terminal de contentores do Barreiro

O estudo, orçamentado em 600 mil euros, tem um prazo de execução de 180 dias a partir do momento em que seja assinado o contrato com a entidade que ficar responsável por o efectuar.

Kim Hong-Ji/Reuters

A Infraestruturas de Portugal vai avançar com um concurso para fazer um estudo sobre as acessibilidades rodo-ferroviárias ao terminal de contentores no Barreiro, segundo publicação hoje feita no Diário da República, e citada pela Lusa.

“O estudo das acessibilidades rodo-ferroviárias ao futuro Terminal de Contentores do Barreiro, nova infraestrutura portuária da responsabilidade da Administração do Porto de Lisboa, visa assegurar as ligações terrestres a este porto considerando a ligação ferroviária à Linha do Alentejo e a ligação rodoviária ao Itinerário Complementar IC 21 (A39)”, refere o documento.

O estudo estará dividido em duas fases, avançando primeiro os levantamentos topográficos, o estudo de tráfego, estudo de viabilidade ambiental e o estudo de viabilidade, com o valor de 150 mil euros.

A segunda fase será para a prospeção geotécnica com o mapa de quantidades de geotecnia, o Estudo Prévio e o Estudo de Impacte Ambiental, com o valor de 450 mil euros.

O território da Baía do Tejo, no concelho do Barreiro (distrito de Setúbal), está a ser estudado como hipótese para receber o novo terminal de contentores de Lisboa.

O equipamento representa um investimento de cerca de 700 milhões de euros para uma área de contentores e multiusos, numa área logística de cerca de 400 hectares.

A plataforma multimodal inclui o terminal de contentores com capacidade para 2,7 milhões de teus (medida standard utilizada para calcular o volume de um contentor) por ano.

Nesta altura está a decorrer o Estudo de Impacte Ambiental (EIA) do novo terminal de contentores no Barreiro, que deverá ser entregue em breve na APA e estar concluído no primeiro trimestre de 2017.

Recomendadas

Governo apela a entendimento entre sindicato e administração da TAP para evitar greves (com áudio)

“O apelo que posso fazer é para que a administração, mas também o sindicato faça um esforço de entendimento e que se consiga poupar a TAP a mais cinco dias de greve”, afirmou Pedro Nuno Santos.

Transporte aéreo de passageiros perderá 6.570 milhões de euros em 2022

A indústria do transporte aéreo de passageiros perderá 6.900 milhões de dólares (6.570 milhões de euros) este ano, antes de regressar a lucros limitados em 2023, segundo as projeções apresentadas hoje pela IATA.

TAP: Serviços mínimos para greve abrangem países lusófonos e comunidades portuguesas

Os serviços mínimos para a greve dos tripulantes de cabine da TAP, marcada para quinta e sexta-feira, abrangem as regiões autónomas, os países lusófonos e zonas com emigrantes portugueses, segundo um acórdão hoje publicado.
Comentários