Insolvências até julho diminuem mais de 10% face a 2021

A insolvências diminuíram de 326 para 272 e Lisboa e Porto continuam a ser os distritos que apresentam os valores de insolvência mais elevados.

A Iberinform, empresa de informação comercial de empresas, revelou informação relativamente às insolvências em Portugal, que diminuíram no mês de julho.

Assim, a Iberinform aponta que “as insolvências em julho diminuíram de 326 para 272, menos 54 que no período homólogo de 2021 (menos 17%)”.

Por acumulação, nos últimos três anos, existiram menos 293 insolvências do que no ano passado, o que traduz um decréscimo de -10%. Desde 2019, a média mensal é a mais baixa e situa-se em 231 ações de insolvência.

Relativamente à tipologia, até final de julho, foram registadas 452 declarações de insolvência requeridas por terceiros, menos 76 que em 2021, o que representa um decréscimo de menos 14%. Quanto às apresentações à insolvência pelas próprias empresas, a diminuição foi de menos 19%, com menos 106 pedidos registados. Os encerramentos com plano de insolvência ascenderam a 26 ações, mas também aqui houve um decréscimo de -10% face ao ano transato.

Por distritos, Lisboa e Porto continuam a ser aqueles que apresentam os valores de insolvência mais elevados: 689 e 592, respetivamente. No entanto, em comparação ao ano passado, verifica-se um aumento de 4,9% em Lisboa e uma diminuição de 16% no Porto.

Ainda ao nível dos distritos, alguns registaram reduções nas insolvências como é o caso de distritos como Portalegre (-43%); Viana do Castelo (-32%); Braga (-31%); Faro (-30%); Vila Real (-26%); Beja (-21%); Coimbra (-20%); Aveiro (-20%); Ponta Delgada (-16%). Por outro lado, os distritos com os maiores aumentos são: Horta (+200%); Bragança (+27%); Setúbal (+22%); Angra do Heroísmo (+14%) e Santarém (+11%).

Sobre os sectores, a Iberinform indica que “o único sector que vê aumentar as insolvências nos primeiros sete meses deste ano é o sector dos Transportes (+13%)”.

Com variação negativa destacam-se as atividades das Telecomunicações (-25%), Hotelaria e Restauração (-15%) e Construção e Obras Públicas (-12%).

Recomendadas

Grupo da transportadora aérea Sevenair aumenta receitas devido aos cursos de piloto

A Sevenair Academy viu o EBITDA fixar-se ligeiramente acima dos 2 milhões de euros no ano passado.

Sérgio Figueiredo contratado para consultor de Fernando Medina

O contrato estende-se por dois anos e Sérgio Figueiredo deverá receber um ordenado equiparado ao de um ministro.

SINTAC reúne com DGERT e ANA/VINCI para discutir serviços mínimos a assegurar agosto

Em causa estão ainda outras medidas defendidas pelo sindicato, desde o aumento de salários, para fazer face à inflação, até ao reforço dos recursos humanos.
Comentários