Insolvências diminuem 10% e criação de empresas aumenta mais de 17% face a 2021

Nos primeiros oito meses de 2022, as insolvências em Portugal diminuíram 9,5% no comparativo com 2021, enquanto a criação de novas empresas teve um crescimento homólogo de 17,4%, segundo a Iberinform.

Nos primeiros oito meses de 2022, as insolvências em Portugal diminuíram 9,5% no comparativo com 2021, enquanto a criação de novas empresas teve um crescimento homólogo de 17,4%, segundo a Iberinform, uma filial da Crédito y Caución.

Até final do segundo quadrimestre deste ano registaram-se 2.673 insolvências, menos 281 que no período homólogo do ano passado, valor que traduz uma diminuição de 9,5% refere a mesma análise. No entanto, em agosto, houve um ligeiro aumento face ao mês homólogo de 2021, com um total de 125 insolvências (+6,8%). Este é o primeiro mês do ano a registar um aumento face ao mesmo período do ano passado.

Por tipologia, e no acumulado até final de agosto, as declarações de insolvência requeridas por terceiros diminuíram 11,1% (menos 64 que em 2021), enquanto as apresentações à insolvência pelas próprias empresas baixaram 13,3% (de 602 em 2021 para 522), segundo a Iberinform.

Já os encerramentos com plano de insolvência também diminuíram, embora de forma menos expressiva (-3,3%). Nos primeiros oito meses de 2022 foi declarada a insolvência de 1.610 empresas, menos 136 declarações que em 2021.

De acordo com o estudo, os distritos de Lisboa e do Porto são os que apresentam os valores mais elevados: 712 e 627 insolvências, respetivamente. Face a 2021, Lisboa tem um aumento de 4,1%, enquanto o Porto baixa 13%. As maiores descidas verificam-se, contudo, nos distritos de: Portalegre (-34,8%); Viana do Castelo (-30,9%); Braga (-27,6%); Vila Real (-25%); Faro (-23,1%); Aveiro (-22,9%); Coimbra (-22,1%); Beja (-21,4%); Ponta Delgada (-15,4%) e na Madeira (-14,1%). Além de Lisboa, também há aumentos em: Horta (+100%); Bragança (+45,5%); Angra do Heroísmo (+25%); Setúbal (+17,9%); Évora (+9,1%) e Santarém (+7,6%).

O sector de Transportes é o único que vê subir as insolvências, com um aumento de 8,2% face a 2021 (total de 119 insolvências). As maiores descidas registam-se nas atividades de: Telecomunicações (-25%); Hotelaria e Restauração (-15,7%); Outros Serviços (-12%); Indústria Transformadora (-11,1%); Comércio por Grosso (-10,5%); Construção e Obras Públicas (-7,6%); Agricultura, Caça e Pesca (-7,5%); Comércio de Veículos (-7,7%) e Comércio a Retalho (-4,7%).

Novas empresas mantêm crescimento de dois dígitos

Em agosto, foram criadas 2.893 novas empresas, mais 162 empresas que no período homólogo do ano passado. No total do ano, já foram constituídas 32.082 novas empresas, mais 4.755 que em 2021 (aumento de 17,4%), conclui a Iberinform.

Recomendadas

Vila Galé Collection Braga considerado o hotel mais marcante da Europa nos ‘Óscares do Turismo’

Com um investimento de oito milhões de euros, o Vila Galé Collection Braga resulta da reconversão do complexo do antigo hospital de São Marcos, que estava desocupado desde 2011, permitindo assim a requalificação de um imóvel de interesse público, datado de 1508.

Grupo Stellantis e DST Solar nas Agendas Mobilizadoras

A inovação verde para a indústria automóvel passa pelas Agendas Mobilizadoras. O ISQ&CTAG irá investir 6,2 milhões de euros.

TAAG recebe aviso de greve dos pilotos com início a 7 de outubro

O Sindicato de Pilotos de Linha Aérea (SPLA) decretou uma greve a partir de 7 de outubro, tendo já sido enviado o aviso de greve à TAAG – Linhas Aéreas de Angola na sexta-feira, anunciou este sábado a companhia aérea angolana.
Comentários