Intel prepara entrada em bolsa da sua unidade de carros autónomos

A gigante norte-americana, o maior empregador da indústria de alta tecnologia em Israel com quase 14 mil trabalhadores, espera reter a equipa executiva da Mobileye e manter a propriedade maioritária da unidade após a oferta pública inicial (IPO) das ações recentemente emitidas da Mobileye.

A Intel disse já estar a planear a entrada em bolsa da sua unidade de carros autónomos Mobileye nos Estados Unidos em meados de 2022, um negócio que pode avaliar a unidade israelita em mais de 50 mil milhões de dólares (44,3 mil milhões de euros), segundo a “Reuters”.

A gigante norte-americana, o maior empregador da indústria de alta tecnologia em Israel com quase 14 mil trabalhadores, espera reter a equipa executiva da Mobileye e manter a propriedade maioritária da unidade após a oferta pública inicial (IPO) das ações recentemente emitidas da unidade.

A Intel afirmou também não ter intenção de alienar ou alterar a sua participação na Mobileye, e que tem como intenção continuar a fornecer recursos técnicos para a fabricante.

A parceria continua a gerar fortes receitas com fluxo de caixa livre para a Mobileye, que permite o financiamento do desenvolvimento de veículos autónomos, disse o presidente executivo da empresa, Amnon Shashua.

“Amnon e eu determinamos que um IPO oferece a melhor oportunidade de desenvolver o histórico da Mobileye em inovação e desbloquear valor para os acionistas”, disse Pat Gelsinger, presidente executivo da Intel, em comunicado citado pela “Reuters”.

Gelsinger tem estado sob pressão de investidores ativistas como a Third Point LLC para considerar a separação das suas caras operações de produção de chips, numa altura em que a empresa procura expandir a sua capacidade nos Estados Unidos e na Europa a meio de uma escassez global de semicondutores.

A Intel comprou a Mobileye por 15,3 mil milhões de dólares (13,5 mil milhões de euros) em 2017, colocando-a em competição direta com as rivais Nvidia e Qualcomm para desenvolver sistemas sem condutor para as construtoras automóveis a nível global.

Construtoras como a General Motors, Ford e Toyota, estão ativamente a promover a transição de veículos movidos a combustíveis fósseis para linhas movidas a energia elétrica e têm investido significativamente em modelos com recursos como tecnologia de assistência ao motorista e sistemas de direção autónomos.

A Mobileye, fundada em 1999, adotou uma estratégia diferente de muitos dos seus concorrentes de carros autónomos, com um sistema atual baseado em câmaras que ajuda os carros com cruise control adaptado e assistência para mudança de via.

Apesar de ser propriedade da Intel, a Mobileye nunca utilizou as fábricas da empresa-mãe para fazer produzir os seus chips, em vez disso, confiou na Taiwan Semiconductor Manufacturing (TSMC) para todos os seus chips “EyeQ” até hoje.

Recomendadas

EDP compra plataforma de desenvolvimento solar na Alemanha por 250 milhões de euros

A empresa destaca que a operação agora oficializada permite ao grupo português entrar na Alemanha e nos Países Baixos, dois países que beneficiam de ambiciosas metas no sector das renováveis, “dado o aumento da importância dada à segurança da entrega de energia e à sua independência”.

Governo enaltece sucesso de empresas portuguesas de construção no mercado dos EUA

Em declarações à Lusa no Seminário Anual da Rede de Empreendedores da Construção (CENSE, na sigla em inglês), na cidade norte-americana de Newark, o secretário de Estado da Internacionalização saudou a presença de dezenas de empresas luso-americanas no evento, realçando que muitas viajaram de propósito de Portugal para ali explorarem oportunidades de negócio.

Alemanha reitera apoio a gasoduto nos Pirinéus e diz que França não excluiu projeto (com áudio)

O chanceler alemão destacou que este projeto tem uma perspetiva de longo prazo e que, para além do transporte de gás no imediato, servirá para fornecer outras energias, como hidrogénio, no futuro.
Comentários