São Tomé e Príncipe: tentativa de golpe de Estado foi neutralizada

Um grupo de homens invadiu esta noite o quartel militar de São Tomé e Príncipe, fazendo um refém e um ferido grave. Um ex-presidente da Assembleia Nacional foi preso entretanto.

Um grupo de homens invadiu esta noite o quartel militar de São Tomé e Príncipe, fazendo um refém e um ferido grave, tendo o ataque sido neutralizado ao início da manhã, disseram à Lusa fontes locais. “Quatro homens quiseram assaltar o quartel e fizeram refém o oficial de dia”, indicou fonte do Governo, que referiu que o ataque teve início pouco depois das 00:00 de hoje (mesma hora em Lisboa).

Em consequência, o ex-presidente da Assembleia Nacional de São Tomé e Príncipe, Delfim Neves, foi detido esta manhã, na sequência do ataque , anunciou hoje o primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada.

“Fomos alvo de uma tentativa de golpe, que começou por volta das 00:40 e que teve o seu desfecho, em termos operacionais, pouco depois das 06:00 [horas locais, mesma hora em Lisboa]”, disse o chefe do Governo, numa conferência de imprensa. Patrice Trovoada adiantou que “tudo indica” que o ataque ocorreu “a mando de algumas personalidades”.

“O Estado Maior informou-me que detiveram algumas pessoas, na base de declarações do primeiro grupo de quatro [atacantes] que foi detido e neutralizado. Alguns nomes mais conhecidos, Arlécio Costa, está detido no quartel e Delfim Neves também está detido no quartel”, avançou o primeiro-ministro.

O assalto, adiantou a mesma fonte, foi “neutralizado por volta das 06:00 da manhã”, com a detenção dos elementos e já foi aberto um processo de investigação.

Segundo fonte médica, durante o ataque, um homem ficou ferido com gravidade devido a agressões, mas já se encontra a recuperar. A mesma fonte adiantou que os assaltantes tinham idades entre os 21 e os 24 anos e tiveram ajuda de “alguns soldados internos, que permitiram a entrada no quartel”.

Relatos de moradores no Bairro Militar dão conta de ocorrências de tiroteios e de uma explosão. Hoje de manhã os acessos ao local estavam bloqueados.

 

Recomendadas

Governo italiano aprova envio de armas à Ucrânia para todo o ano de 2023

O Governo italiano aprovou um decreto prolongando o fornecimento de ajuda, incluindo armamento, à Ucrânia para todo o ano de 2023.

PremiumUcrânia à espera do inverno e dos mísseis norte-americanos Patriot

A NATO não parece disposta a enviar os mísseis para a Ucrânia, e a Rússia já avisou que, se isso acontecer, tirará as devidas ilações.

PremiumProtestos na China “não têm dimensão de revolta política”

Os protestos face à política Covid zero na China chegaram a assumir alguma violência, mas os analistas não conseguem descobrir em Guangzhou qualquer sintoma da morte iminente do regime de Xi Jinping. ANATO manteve um olhar atento ao país asiático.
Comentários