Investe Nordeste prepara já Fórum de 2015

O Fórum Investe Nordeste 2015 está já em fase de preparação. O Investe Nordeste é um Expo-Fórum internacional totalmente dedicado a explorar as grandes oportunidades de investimentos, parcerias comerciais e trocas de tecnologias na região do Nordeste do Brasil. O objetivo maior do Fórum é ajudar a criar uma atmosfera favorável para investidores internacionais, interagirem […]

O Fórum Investe Nordeste 2015 está já em fase de preparação. O Investe Nordeste é um Expo-Fórum internacional totalmente dedicado a explorar as grandes oportunidades de investimentos, parcerias comerciais e trocas de tecnologias na região do Nordeste do Brasil.

O objetivo maior do Fórum é ajudar a criar uma atmosfera favorável para investidores internacionais, interagirem melhor com altos executivos nacionais e entidades governamentais brasileiras. A expectativa é que seja formalizada parcerias/sinergias com entidades nacionais e internacionais que tenham interesse em investir no Nordeste Brasileiro e também assinado um número significativo de protocolos de entendimento entre as partes presentes.

“O vice-presidente da Aicep – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, Pedro Pessoa, gostou da iniciativa e prometeu ajudar de forma mais efetiva no Investe Nordeste 2015”, garante o director geral do Investe Nordeste, José Lourenço (na foto com Carlos Moura e Pedro Pessoa), em declarações ao OJE.

O Fórum deste ano decorreu nos dias 25 e 26 de Novembro, no Centro de Convenções do Recife, Brasil. Segundo José Lourenço, “houve rodadas de negócios entre empresários portugueses e brasileiros, onde se formalizaram negócios e outros ficaram em fase de estudo, podendo derivar em parcerias e joint-ventures”.

Para o diretor geral do Fórum, ficou “patente e claro que o Nordeste do Brasil é uma terra de oportunidades, onde a intervenção e investimento português são já muito fortes, no entanto, serão ainda mais fortes num futuro próximo”.

“O BNB (Banco do Nordeste) representado pelo seu Superintendente de Recife, João Nilton, foi bastante solicitado por empresários portugueses com empresas de direito jurídico brasileiro, nomeadamente na área de investimentos, visto estar um banco com taxas muito competitivas, mesmo ao nível da Europa”, adianta José Lourenço.

Aquele responsável considera que todas as condições estão reunidas para um Investe Nordeste 2015 “ainda mais forte, sendo que já é uma certeza que o mesmo será realizado em Recife. Embora, tenho sido coagitado poder ser em Fortaleza (devido a vários contactos nesse sentido), no entanto, decidimos que a próxima edição será na cidade de Recife”.

José Lourenço mostra-se entusiasmado com o futuro do Fórum, mas também com o presente: “Gostei particularmente das intervenções do Dr. Jorge Silva Carvalho e do Dr. Rui Barreira, que abordaram temas de grande interesse. Gostei muito da intervenção do vereador da Câmara Municipal de Santo. Tirso, Dr. José Pedro, que abordou de forma muito interessante e convincente o investimento no Vale do Ave. O engenheiro Eduardo Pimentel teve uma palestra digna de registo, onde demonstrou todo o potencial e grandiosidade da Mota-Engil, Ambiente e Serviços SGPS”.

Resumindo, José Lourenço diz que “foi um expo-fórum de muita informação para os dois países e uma vez mais ficou provado que a distância que nos separa é demasiado curta, pois, a nível geográfico o Nordeste do Brasil está muito próximo de Portugal e a cultura bilateral ainda predomina”. “Contamos que o OJE, faça um acompanhamento ainda maior ao Investe Nordeste 2015”, refere.

E para melhorar o nem-estar dos participantes, José Lourenço a diz que gostava de realizar o próximo evento, “num hotel com capacidade para acolher tantas pessoas, visto que a interação entre empresários e palestrantes continuou mesmo dentro do hotel onde ficámos alojados, o Nobile Beach Class Executive. Espero que o próximo evento possa ser num dos hotéis portugueses, assim eles estejam com disponibilidade para fazerem parceria connosco e não pensarem somente em lucros”.

No Investe Nordeste 2014, Jorge Silva Carvalho falou sobre “O Mercado da língua portuguesa – vantagens estratégicas e preocupações securitárias”, enquanto Rui Barreira, director do Centro Distrital de Braga da Segurança Social, se dedicou ao tema da “Responsabilidade Social das Empresas e O Direito dos Trabalhadores Portugueses Deslocalizados no Brasil”. Ao vice-presidente da Aicep, Pedro Pessoa e Costa, e ao diretor da Agência no Brasil, Carlos Moura, coube o tema “Portugal/Brasil Parceiros de Negócios”, tendo o vice-presidente da Câmara Brasil Portugal em Pernambuco, António Pinto, falado sobre o “Investimento no Nordeste”.

Já o presidente da Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil-Bahia, António Coradinho, debateu a importância dos “Negócios Nordeste Portugal – Um Futuro Promissor”, e ao presidente da Mota-Engil –Ambiente e Serviços, Eduardo Pimentel, coube o tema das “Estruturas e Organização”.

OJE

Recomendadas

SAD do Sp. Braga com resultado positivo de 3,1 milhões de euros na época passada

Relativamente ao exercício financeiro que terminou a 30 de junho deste ano, que ainda não refletem a venda do passe futebolístico do defesa central David Carmo (transferência fechada para o FC Porto na ordem dos 20 milhões de euros), a SAD dos bracarenses destaca que este foi um período “pautado por múltiplos constrangimentos associados à pandemia”.

Sonaecom rasga acordo com Isabel dos Santos

“À Sonae passa a ser imputada uma participação na NOS de cerca de 36,8% do capital social e dos direitos de voto nessa sociedade”, detalha a empresa liderada por Cláudia Azevedo.

Toyota Caetano Portugal com lucros de 7,3 milhões no semestre

Em comunicado à CMVM, a Toyota Caetano Portugal diz que os resultados líquidos consolidados ascenderam a 7,3 milhões de euros, o que compara com 11,7 milhões em dezembro de 2021 e com 2,98 milhões em junho de 2021.