Investigadores descobrem relação positiva sobre o uso de viagra no combate ao Alzheimer

O viagra é utilizado para a disfunção erétil, mas os investigadores conseguiram provar que poderá ser um tratamento útil para pessoas com Alzheimer, dado que o comprimido tem como alvo algumas das proteínas que se acumulam no cérebro e que provocam, para além de Alzheimer, demência.

Investigadores norte-americanos publicaram um estudo onde afirmam que o uso de viagra poderá ter efeitos positivos no combate ao Alzheimer – doença para a qual ainda não foi descoberta nenhuma cura, avança a “BBC”.

O viagra é utilizado para a disfunção erétil, mas os investigadores conseguiram provar que poderá ser um tratamento útil para pessoas com Alzheimer, dado que o comprimido tem como alvo algumas das proteínas que se acumulam no cérebro e que provocam, para além de Alzheimer, demência.

A equipa de Cleveland também analisou um banco de dados de sete milhões de pacientes e descobriu que os homens que tomavam viagra tinham um risco menor de desenvolver Alzheimer. Ainda assim, perante os resultados, a Nature Aging apontam para a continuação dos estudos antes de publicar um resultado definitivo.

Os investigadores que conduziram o estudo afirmam estar “empolgados”, por considerarem que reaproveitar um medicamento existente pode significar um combate à doença mais rápido, simples e barato, do que encontrar e desenvolver um novo tratamento.

O investigador principal do estudo, Feixiong Cheng, disse que as descobertas são encorajadoras, mas é necessário dar continuidade à investigação: “Como as nossas descobertas estabelecem apenas uma associação entre o uso de sildenafil [viagra] e a redução da incidência da doença de Alzheimer, estamos a planear um ensaio clínico aleatório de segunda fase para testar a causalidade e confirmar os benefícios clínicos do sildenafil para pacientes com Alzheimer”.

Recomendadas

Subfinanciamento do Estado pode colocar em causa qualidade dos cuidados continuados, revela estudo

O valor pago pelo Estado a instituições da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) é “significativamente inferior” aos custos, um subfinanciamento que pode colocar em causa a qualidade dos serviços, alerta um estudo hoje divulgado.

Governo decide não renovar estado de alerta em território nacional

O ministro da Saúde justifica a decisão com “o elevado nível de vacinação na população portuguesa”.

Associação alerta que acesso a medicamentos genéricos pode ficar comprometido

“Caso não sejam implementadas medidas urgentes para assegurar a sustentabilidade da cadeia de produção dos medicamentos genéricos e biossimilares, é o acesso dos cidadãos à saúde que está comprometido”, adiantou a presidente da APOGEN.
Comentários