Investimento na linha de Cascais aguarda ‘ok’ de fundos comunitários

A candidatura foi submetida em 30 de setembro passado, para um investimento total de 77 milhões de euros, com 50 milhões de euros de fundos comunitários.

Jose Manuel Ribeiro / Reuters

O investimento para a reabilitação da linha ferroviária de Cascais aguarda a aprovação por parte da Comissão Europeia da candidatura apresentado pelo Governo português aos fundos do PO SEUR – programa de Eficiência Energética nos Transportes Públicos.

A candidatura foi submetida em 30 de setembro passado, para um investimento total de 77 milhões de euros, com 50 milhões de euros de fundos comunitários.

De acordo com as declarações António Laranjo, presidente da IP – Infraestruturas de Portugal, numa audição na passada quarta-feira, dia 18 de dezembro, na Assembleia da República, este investimento deverá ser posteriormente integrado no programa Ferrovia 2020, após ‘grant agreement’.

O projeto inclui também a construção de uma subestação em Sete Rios (SST), para reforço da alimentação da rede convencional nas linhas de Cintura e de Sintra, alimentando a linha de Cascais, após a sua migração para o sistema de 25KV, 50Hz.

“A SST localizar-se-à no designado ‘Triângulo de Sete Rios’, confinado pelas linhas férreas de Sintra, Cintura e ligação entre estas (concordância de Sete Rios) encontrando-se também junto à linha trifásica subterrânea entre a Pontinha e Sete Rios”, adianta um documento da IP.

Quer a construção desta subestação, quer a relativa à sinalização eletrónica da linha, que terá de migar para o regime utilizado na restante rede ferroviária nacional, deverão ser lançadas no primeiro trimestre do próximo ano.

Outra questão, cuja solução ainda não é conhecida, é a verba necessária para adquirir novo material circulante para a linha de Cascais.

Recomendadas

Saídas de capital do Credit Suisse quase estancadas e já se nota regresso de depositantes de elevado património

O banco deverá ter perdido cerca de 10% dos fundos depositados na operação de gestão de ativos, devido a desconfianças dos clientes relativamente à solvabilidade da instituição.

EDP procura startups mais inovadoras na área da energia

Elétrica lança a 7ª edição do Free Electrons em busca de startups inovadoras. Candidaturas decorrem até 28 de janeiro.

Mitos que bloqueiam progressão feminina e dificultam diversidade de género nas empresas

Relatório da Mazars e Gender Balance Observatory desmistifica mitos em contexto laboral, entre os quais a falta de ambição e a aversão ao risco entre as mulheres, a questão da maternidade ou das quotas e a meritocracia.
Comentários