Investimento no sector de retalho cresceu 170% em Portugal até setembro

A análise europeia da consultora Savills revela que o investimento em centros comerciais representou 27% de toda a atividade de investimento no segmento de retalho, em comparação com os 14% verificados no período homólogo do ano passado.

DR

O volume de investimento no sector de retalho em Portugal registou um crescimento homólogo de 170% nos primeiros nove meses de 2022, segundo os dados de uma análise europeia feita a este mercado pela consultora Savills divulgados esta quarta-feira, 7 de dezembro.

Ainda assim, Portugal verifica o valor mais baixo quando comparado com outros países como a Roménia, onde o investimento neste segmento registou no período em análise um aumento de 2.421%, em Espanha (484%) ou na Finlândia (177%).

O investimento em centros comerciais representou 27% de toda a atividade de investimento no segmento de retalho, em comparação com os 14% verificados no período homólogo do ano passado.

Nos primeiros nove meses do ano o volume europeu em retalho atingiu os 26,9 mil milhões de euros, o que representou um crescimento de 25%, face ao mesmo período de 2021.

Ainda assim, no terceiro trimestre deste ano, os volumes de investimento em retalho diminuíram 15% em comparação com a quebra no investimento registado nos sectores de multifamily (-70%), de escritórios (-27%) e industrial (-17%).

José Galvão, retail associate director da Savills Portugal, refere que “o sector de retalho tem vindo a ser impactado, nos últimos três anos, por vários fatores conjunturais que desafiam a resistência de investidores e operadores. Do lado dos operadores, a adaptação dos negócios às novas tendências dos consumidores tem sido exemplar, com destaque para o sector da restauração. Apesar da incerteza macroeconómica há sectores de atividade que pretendem expandir, aumentar área e crescer em 2023”.

Recomendadas

Exclusivo: Bónus milionário da CEO da TAP não é válido

O contrato assinado entre a TAP e a gestora francesa Christine Ourmières-Widener prevê um bónus que pode chegar a três milhões de euros no prazo de cinco anos, revela o documento, a que o Jornal Económico teve acesso. No entanto, o contrato não será válido, uma vez que uma das suas cláusulas prevêem que teria de ser aprovado pela Assembleia Geral da TAP SGPS, algo que nunca chegou a acontecer.

Pampilhosa da Serra assina novo contrato para assegurar transporte de passageiros

O município da Pampilhosa da Serra, no interior do distrito de Coimbra, vai pagar mensalmente mais de 15 mil euros a uma empresa para assegurar o serviço de transporte público de passageiros nas linhas que funcionam atualmente.

Martifer com contrato de 68 milhões para fazer viadutos ferroviários em Birmingham

“O fabrico da estrutura metálica será realizado maioritariamente no pólo industrial do grupo Martifer, em Oliveira de Frades, permitindo reforçar a vertente exportadora do grupo Martifer, que atualmente representa mais de 85 % do volume de negócios do segmento de estrutura metálica em Portugal”, refere a empresa.
Comentários