IP abre concurso para concessionar terminal da Bobadela

Em termos de receitas, a concessão do terminal ferroviário da Bobadela só será efetuada se se atingir um mínimo de cerca de 808 mil euros por ano.

Anouk Antony/REUTERS

A Infraestruturas de Portugal está a lançar o concurso público para a concessão da exploração do Parque Norte do Complexo Ferroviário da Bobadela, em Loures.

Segundo um comunicado da empresa pública responsável pela gestão da rede ferroviária nacional, “as propostas devem ser entregues num prazo até 30 dias úteis e a adjudicação será feita de acordo com o critério do preço mais elevado, não podendo este ser inferior a 67.392 euros/mês”.

Em termos de receitas, isto significa que a concessão do terminal ferroviário da Bobadela só será efetuada se se atingir um mínimo de cerca de 808 mil euros por ano.

O anúncio deste concurso público foi publicado esta semana em Diário da República.

O concurso visa a atribuição da exploração o Parque Norte do Complexo Ferroviário da Bobadela, com a área de 111.591 metros quadrados, para a realização de cargas, descargas e armazenamento de mercadorias, contentorizadas e/ou em palete para consolidação, transportadas por caminho-de-ferro, bem como para todas as atividades associadas à logística de contentores, incluindo o parqueamento de contentores vazios, a sua inspeção e reparação.

Recomendadas

Lagarde avisa que taxas de juro vão continuar a subir

Dados da inflação na zona euro em novembro vão ser conhecidos esta semana. BCE reúne-se em meados de dezembro.

Cáritas já recebe pedidos de quem não consegue pagar empréstimo da casa

“O pânico foi imediato. O receio das pessoas, a angústia com que se aproximavam de nós a dizer ‘ai, se eu perco a minha casa’. É que nós tivemos uma crise em que houve muita gente a perder a casa; é recente ainda, está na memória das pessoas – 2008”, afirmou Rita Valadas.

Expectativas de exportação na Alemanha aumentam em novembro, diz Ifo

Depois de uma queda no mês anterior, a indústria automóvel volta a ter expectativa de crescimento nas exportações.
Comentários