IPLeiria impulsiona criação de cluster de produção de jogos digitais

O Politécnico de Leiria associou-se ao movimento Digital Valley no propósito de contribuir para afirmar Portugal no mundo dos videojogos. A sua formação é uma referência na especialidade.

A empresa Miniclip fala português. Jogos como Conan Exiles e Dakar foram, em parte, desenvolvidos por estúdios nacionais. São apenas dois exemplos, mas dão uma ideia da importância dos videojogos para Portugal. O país está no mapa internacional da indústria, mas quer mais e o Politécnico de Leiria diz “presente”.

“Temos bons cursos de videojogos em Portugal e formamos excelentes profissionais. Haver um cluster nacional irá catapultar o país para outro nível”, afirma Gustavo Reis, coordenador da licenciatura em Jogos Digitais e Multimédia, do Instituto Politécnico de Leiria, ao JE Universidades.

O cluster está em construção e o Politécnico acaba de apanhar o comboio do movimento Digital Valley, responsável por promover a ligação entre as entidades que contribuem para a dinamização e o crescimento da indústria de jogos digitais no país. A Futurália foi o local escolhido para a assinatura do protocolo de adesão: Rui Pedrosa assinou pelo IPLeiria de que é presidente, Gorete Lopes, diretora executiva, pela Digital Valley e Carlos Mora, administrador da criado pela Techframe.

A existência do cluster de jogos digitais abre caminhos para todos, na medida em que faz aumentar a visibilidade e o acesso a linhas de apoio e a redes de investimento nacionais e internacionais e estimula a cooperação e colaboração entre unidades de formação e empresas. Todos juntos serão mais fortes para agarrar as oportunidades no mundo global.

Além do IPLeiria podem ter voz neste movimento todas as instituições que, de uma forma ou de outra, tenham cursos relacionados com o desenvolvimento de videojogos, desde os mais virados para a arte (ilustração, modelação 3D, animação, etc.) até aos cursos mais vocacionados para a programação.

Gustavo Reis destaca o contributo do IPLeiria e da formação que ministra. “Nós já temos o curso de licenciatura em Jogos Digitais e Multimédia, que há alguns anos foi tornado internacional e que se chama atualmente Undergraduate in Games and Multimedia”.

A aceitação do curso mede-se pela procura, que continua a aumentar, e pelos resultados obtidos pelos seus alunos em concursos internacionais onde somam prémios atrás de prémios. Na Nordic Game Discovery Contest foram três vezes selecionados como tendo o melhor português e, mais tarde, representaram na Suécia as cores verde e rubro, disputandoo prémio do melhor jogo europeu. Ao palmarés, há que somar os PlayStation Talents, onde os estudantes do IPLeiria têm obtido prémios.

Na última edição, por exemplo, foram particularmente bem sucedidos. “Arrecadámos um total de seis prémios, incluindo o prémio principal”, orgulha-se Gustavo Reis, de olhos postos na dimensão do mercado e nas oportunidades que este gera em termos de criação de riqueza e emprego.“A nível global, a indústria dos videojogos gera mais dinheiro que a indústria da música e do cinema juntas. Uma aposta neste setor só trará vantagens”, salienta.

Recomendadas

Português João Redondo preside a Aliança das Instituições de Ensino Superior Não Estatais na Europa

A EUPHE representa cerca de 700 instituições universitárias e politécnicas particulares e cooperativas, nas quais estudam 1,5 milhões de estudantes em países como a França, Alemanha, Espanha, Áustria, Irlanda, Polónia, Eslovénia e Portugal.

A emocionante viagem de Nuno Bicho no rasto do Homo Sapiens

O investigador português, vice-reitor da Universidade do Algarve, está de regresso a Moçambique. Nesta descoberta pelos vales do Save e do Limpopo faz-se acompanhar por uma equipa multidisciplinar para comprovar, através da arqueologia, o modelo genético de que as populações humanas da África Austral foram a génese da migração da nossa espécie.

Politécnico de Viana do Castelo cria centro de investigação de 6,5 milhões para economia azul

Projeto para a construção do edifício aguarda financiamento do PT2030. Objetivo é que seja construído no próximo ano e entre em funcionamento em 2024.
Comentários