Irão. Alemanha pede mais sanções da UE por violações de direitos humanos

O chanceler alemão, Olaf Scholz, pediu hoje novas sanções da União Europeia (UE) contra o Irão em resposta à repressão de manifestações pacíficas e ao fornecimento de drones à Rússia para atacar alvos civis na Ucrânia.

“Vemo-lo nas ruas, nas salas de aula e nos tribunais de Teerão e de outras cidades iranianas. Vemos a luta pela liberdade e justiça”, disse Scholz, na sua mensagem semanal aos alemães, citado pela agência espanhola EFE.

Scholz referia-se à repressão do regime de Teerão dos protestos contra a morte da jovem Masha Amini, em 16 de setembro, depois de ter sido detida pela polícia de costumes por alegadamente usar incorretamente o véu islâmico.

A repressão dos protestos provocou cerca de 200 mortos, segundo uma organização de direitos humanos iraniana com sede fora do Irão.

“Vemos também drones iranianos a atacar cidades ucranianas. Isto é absolutamente inaceitável. Exigimos o fim imediato da violência e a libertação dos presos políticos e jornalistas”, disse Scholz.

Face a esta situação, a UE deve “aumentar a pressão sobre a Guarda Revolucionária e a liderança política” no Irão com novas sanções, acrescentou.

A ministra dos Negócios Estrangeiros alemã, Annalena Baerbock, advertiu o Irão, na sexta-feira, de que o respeito pelos direitos humanos não é um “assunto nacional” e rejeitou as acusações de Teerão de interferência nos assuntos internos.

“O respeito pelos direitos humanos faz parte das fundações universais e diz respeito a toda a comunidade internacional”, afirmou Baerbock, ao responder a críticas iranianas ao apoio alemão a um novo pacote de sanções e a ameaças de represálias contra Berlim.

De acordo com a revista alemã Der Spiegel, a Alemanha e outros parceiros da UE propõem uma extensão das sanções a 31 altos funcionários e instituições responsáveis pelo aparelho de segurança do Irão.

Em outubro, a UE impôs sanções contra quase uma centena de indivíduos e organizações iranianas, que responsabilizou por violações dos direitos humanos no país.

Recomendadas

Humanidade só se salva se defender o planeta Terra e a biodiversidade- Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, afirmou hoje que a única saída para salvar a Humanidade é “investir no planeta Terra” e deter a perda de biodiversidade.

Peru: Vice-Presidente investida como nova chefe de Estado

Dina Boluarte, anterior vice-presidente peruana, foi empossada como a nova chefe de Estado, depois de Pedro Castillo ter sido destituído pelo Congresso, acusado de tentar executar um golpe de Estado ao anunciar a dissolução daquele órgão.

Irão: Greve resulta em mais um dia de repressão de protestos estudantis

O Irão viveu mais uma jornada de greve com o comércio parcialmente fechado e manifestações de estudantes universitários contra o regime, reprimidas pelas forças de segurança.
Comentários