Iraque quer manter preços do barril estáveis

O primeiro-ministro Mohammed Shia al-Sudani, deseja que os preços do barril não ultrapassem os 100 dólares por barril e vai debater com outros membros da OPEP o aumento da cota de produção.

O Iraque deseja manter os preços do petróleo estáveis ​​de forma a não ultrapassarem os 100 dólares por barril, informou o primeiro-ministro Mohammed Shia al-Sudani em conferência de imprensa este sábado, 12 de novembro, revela a agência “Reuters”.

O país que integra também a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), vai debater com outros membros do organismo para reconsiderar e aumentar a sua cota de produção.

“O Iraque está ansioso pela estabilidade dos preços da energia, não queremos que os preços subam acima dos 100 dólares por barril e que ao mesmo tempo não caiam de uma forma que afete o nível de oferta e procura”, referiu Mohammed Shia al-Sudani.

O primeiro-ministro acrescentou ainda que o Iraque está determinado em continuar a mediar as conversas entre os rivais regionais Arábia Saudita e Irão, tendo as negociações tido início no ano passado para tentar conter as tensões entre os dois países. “As partes interessadas pediram-nos oficialmente para continuarmos a desempenhar este papel”, afirmou.

O conflito entre os dois países aumentou recentemente após a morte de Mahsa Amini, de 22 anos, enquanto estava sob custódia da polícia moral da Arábia Saudita.

O ministro da inteligência do Ião avisou a Arábia Saudita na última quarta-feira de que não há garantias de que Teerão continue com a sua “paciência estratégica”. No mês passado, o chefe da Guarda Revolucionária do Irão, Hossein Salami, alertou a Arábia Saudita para controlar os seus meios de comunicação.

Recomendadas

Australianos procuram parceiro minoritário para a Finerge (com áudio)

Energética portuguesa concluiu operação de refinanciamento de 2,3 mil milhões de euros para acelerar a expansão em Portugal e Espanha.

Consórcio da EDP e Reganosa arrecada 24 milhões de euros para projeto de hidrogénio verde na Galiza

A região espanhola anunciou que irá atribuir 32 milhões de euros de fundos comunitários a projetos de hidrogénio verde. Deste montante, a maior parte vai para o consórcio entre a energética portuguesa e a galega. A Reganosa e a EDP estimam um investimento necessário de 156 milhões de euros.

Woodside admite possibilidade de gasoduto do Greater Sunrise para Timor-Leste

A petrolífera australiana Woodside admitiu hoje que está a reconsiderar a possibilidade de um gasoduto dos campos do Greater Sunrise para a costa sul de Timor-Leste, no que representa uma viragem na posição da empresa.
Comentários