Irmãs paquistanesas que moravam em Espanha torturadas até a morte por maridos que queriam emigrar

De acordo com a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão, mais de 450 assassinatos de “honra” foram registrados no Paquistão em 2021. A Human Rights Watch estima que o número real esteja próximo dos mil por ano.

Paquistão

Duas irmãs paquistanesas que viviam em Espanha foram torturadas até a morte pelos maridos depois de terem negado ajuda para emigrar do Paquistão, segundo conta o “The Independent”. Os indivíduos foram ajudados por cúmplices, incluindo o sogro de uma das mulheres. Para além de seis detidos, há dois suspeitos desconhecidos e outro parente foragido.

Urooj Abbas, 21, e Anisa Abbas, 23, terão sido casadas à força com os primos há mais de um ano e queriam agora divorciar-se.

“A família criou uma história para convencê-las a vir ao Paquistão por alguns dias”, disse o porta-voz da polícia de Gujrat, Nauman Hassan. Chegaram ao distrito de Gujrat, no nordeste do Paquistão, a 19 de maio e foram mortas a tiro no dia seguinte.

Segundo testemunhos, quando as irmãs se recusaram a assinar os papéis que permitiam que os maridos emigrassem para Espanha e exigiram o divórcio, começou uma discussão com os membros da família. A mãe das vítimas tentou proteger as suas filhas, mas foi trancada numa sala separada, disse a polícia.

As mulheres no Paquistão são muitas vezes forçadas a casar-se e arriscam-se a ser mortas por homens da família se não cumprirem as obrigações por eles estipuladas ou se expressarem opiniões contra a prática.

De acordo com a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão, mais de 450 assassinatos de “honra” foram registados no Paquistão em 2021. A ‘Human Rights Watch’ estima que o número real esteja próximo dos mil por ano.

Recomendadas

Operação Marquês. Conselho da Magistratura conclui que substituição “não viola princípio do juiz natural”

O Conselho Superior da Magistratura esclareceu hoje, acerca das críticas do ex-primeiro-ministro José Sócrates, que a substituição da juíza do processo separado da Operação Marquês, através do movimento de magistrados, “não viola o princípio do juiz natural”.

“Assassina, monstra”. Mãe insultada no funeral de menina de Setúbal

A mãe da menina de três anos que morreu depois de ter sido vítima de maus tratos foi hoje insultada por dezenas de populares no funeral em Setúbal. Os três suspeitos do crime vão hoje ser ouvidos em tribunal.

Estado português condenado a pagar diferenças salariais a funcionários no Brasil

O Estado português foi condenado a pagar a nove trabalhadores do Consulado Geral de Portugal em São Paulo a diferença remuneratória devida ao pagamento em reais, disse esta quarta-feira à Lusa fonte sindical.
Comentários