Isabel dos Santos retira oferta mas não desiste da PT SGPS

A Terra Peregrin, da empresária angolana Isabel dos Santos, anunciou que “após cuidada ponderação” decidiu “retirar a oferta” sobre a PT SGPS, depois do regulador CMVM não ter deferido o pedido de derrogação (dispensa) de uma OPA subsequente. Fonte próxima da Terra Peregrin tece fortes críticas à PT SGPS: “Interrogamo-nos sobre os interesses menos transparentes […]

A Terra Peregrin, da empresária angolana Isabel dos Santos, anunciou que “após cuidada ponderação” decidiu “retirar a oferta” sobre a PT SGPS, depois do regulador CMVM não ter deferido o pedido de derrogação (dispensa) de uma OPA subsequente.

Fonte próxima da Terra Peregrin tece fortes críticas à PT SGPS: “Interrogamo-nos sobre os interesses menos transparentes que levaram a administração da PT SGPS a opôr-se à chegada da OPA ao mercado, incluindo a difusão de informação comprovadamente falsa”.

A empresa de Isabel dos Santos garante ainda que “a história desvendará as motivações da administração da PT SGPS ao dificultar uma oferta que representa 100% de prémio sobre as cotações da Oi enquanto tudo fazia para estimular um negócio que destrói valor para grande parte dos accionistas. À administração da PT SGPS será imputada a responsabilidade principal de ter dificultado o acesso dos accionistas a uma oferta ao preço de 1,35€. Bastará acompanhar a evolução das cotações da empresa”.

Fonte próxima da Terra Peregrin garante ainda que a empresa usou “da máxima transparência nesta oferta e sempre dissemos que ela constituía um meio para atingir o objectivo da criação de um operador de telecomunicações multinacional de base lusófona. Estamos determinados em prosseguir essa estratégia pelo que vamos continuar a analisar alternativas ao investimento que tínhamos projectado na PT SGPS”.

Recomendadas

Empresas reafirmam investimento contra riscos cibernéticos

A cibersegurança é uma prioridade para as empresas. O reforço do investimento na proteção de contra ataques mantém-se apesar da conjuntura atual marcada pela subida dos custos. 

Equinix cria fundo solidário de 50 milhões para promover a inclusão digital

A empresa de tecnologia norte-americana criou uma nova estrutura de apoio educativo. O conselho de administração da fundação irá, todos os anos, determinar o montante de doações da fundação, de modo a cobrir a concessão de contribuições ou a correspondência com as ofertas dos colaboradores.

Tecnológica portuguesa Innowave compra Cycloid

Desde 2018 que o grupo tem uma forte estratégia de M&A. “Esta aquisição é mais um passo na nossa estratégia de crescimento, materializada também na criação de centros de competência em Portugal, como é o caso de Lisboa, Porto, Coimbra, Faro e Beja”, afirmou o CEO da Innowave, Tiago Gonçalves.