Isabel II recomenda respeito pelas opiniões diferentes

“Mesmo perante as diferenças mais profundas, tratar-se com respeito e como ser humano, é sempre o primeiro passo para um maior entendimento”, disse a chefe de Estado.

Hannah McKay / Reuters

A rainha de Inglaterra, Isabel II, recomendou esta segunda-feira, na mensagem natalícia, “respeito” pelas opiniões diferentes para facilitar o “entendimento”, o que os media britânicos interpretam como uma chamada de atenção para as profundas divisões na reta final do Brexit.

Este é um dos excertos da mensagem de natal de Isabel II avançados pelos media no Reino Unido e que as cadeias de televisão emitirão na terça-feira de manhã. “Mesmo perante as diferenças mais profundas, tratar-se com respeito e como ser humano, é sempre o primeiro passo para um maior entendimento”, ressalta a chefe de Estado.

A rainha, que é sempre neutral em assuntos políticos, passará o Natal com a família na residência de Sandringham, localizada no condado de Norfolk, sudoeste de Inglaterra.

Isabel II sublinhará também que a mensagem cristã de “paz na terra e boa vontade para todos” é “mais necessária do que nunca”.

Recomendadas

Assinala-se esta segunda-feira o Dia Europeu do Ex-Fumador

O Dia Europeu do Ex-Fumador é celebrado a 26 de setembro, em todos os Estados-Membros da UE, com o objetivo de felicitar todos os que se tornaram ex-fumadores ou que deram os primeiros passos para deixar de fumar, bem como sensibilizar o público para questões de saúde.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Costa anuncia reforço de 1100 efetivos para os quadros da PJ até 2026 (com áudio)

António Costa fez este anúncio na parte final do seu discurso na cerimónia de aceitação de 97 novos inspetores da PJ, em Lisboa, numa sessão em que também usaram da palavra o diretor nacional desta polícia, Luís Neves, e a ministra da Justiça, Catarina Sarmento e Castro.
Comentários