Isabel Moreira defende Vieira da Silva das críticas do CDS-PP e lamenta: “Continuas na lama”

A deputada socialista acusa António Carlos Monteiro, do CDS-PP, de “chafurdar na lama” e descreve-o como o “novo ‘Correio da Manhã”. Tudo por causa das 15 perguntas que dirigiu ao ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, no âmbito do caso da associação Raríssimas.

“O notável deputado António Carlos Monteiro [do CDS-PP] insiste e exige! Não ficou satisfeito com as respostas de ontem dadas ao longo de mais de três horas por Vieira da Silva. O CDS, pela voz deste seu novo ‘Correio da Manhã’, quer saber por que raio o ministro aparece numa foto com a ex-presidente da Raríssimas,” começa por escrever a deputada do PS, num texto publicado na rede social Facebook, indignada com as perguntas dirigidas pelo deputado do CDS-PP ao ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, no âmbito do caso da associação Raríssimas.

“Esteve bem o ministro quando não desceu à altura ridícula de Monteiro, isto é, quando não mostrou as inúmeras fotos em que malta do CDS – sem que obviamente isso seja um problema – figura ao lado daquela senhora,” prossegue Moreira. “Mas Monteiro quer mais e exige mais! Pudera… Deve ser difícil resistir à tentação de se equilbrar seja como for na lama em que ontem, aos olhos de todos, andou a chafurdar. Equilibra-te, CDS, mas continuas na lama.”

Recorde-se que o CDS-PP anunciou hoje que vai insistir, por escrito, com as 15 perguntas dirigidas ao ministro Vieira da Silva sobre a sua relação com a associação Raríssimas. O CDS-PP considera que essas perguntas não foram cabalmente esclarecidas na comissão parlamentar realizada ontem. “Ficaram por responder várias questões e o CDS não está satisfeito com as explicações,” afirmou hoje o deputado António Carlos Monteiro, em conferência de imprensa na Assembleia da República.

Relacionadas

Raríssimas: CDS-PP insiste em questionar Vieira da Silva por escrito

O CDS-PP anunciou hoje que vai insistir por escrito com questões dirigidas ao ministro da Segurança Social, Vieira da Silva, e a sua relação com a associação Raríssimas, que considera não terem sido cabalmente esclarecidas em comissão parlamentar.

Respostas rápidas: O que disse Vieira da Silva no Parlamento sobre a Raríssimas?

Vieira da Silva foi ouvido no Parlamento sobre ligações à Raríssimas. Audição surge depois de suspeitas de gestão danosa na Associação onde o governante foi vice-presidente da assembleia geral entre 2013 e 2015.

Respostas rápidas: As questões a que Vieira da Silva terá de responder sobre a Raríssimas

Vieira da Silva é ouvido hoje no Parlamento sobre ligações à Raríssimas. Audição surge depois de declarações de Paula Brito e Costa que dão conta de um ‘incentivo’ de meio milhão aprovado em 2007 pelo ministro.

Raríssimas: Ministério Público investiga desvios de dinheiro da delegação norte

Na entrevista ao programa Sexta às Nove, da RTP, a primeira que concedeu desde que o caso foi denunciado no passado fim de semana pela TVI, Paula Brito e Costa relatou que, mal teve conhecimento da situação, a denunciou ao presidente do conselho fiscal e depois à assembleia-geral, que autorizou uma auditoria da empresa PKF à delegação do norte da associação.

Paula Brito e Costa: “por causa de gambas e dois vestidos não vou fugir”

Em entrevista à RTP, a ex-presidente da associação Raríssimas reage às acusações de má conduta e aponta o dedo a antiga vice.
Recomendadas

PAN defende aposta nos transportes públicos e revisão dos escalões de IRS

A porta-voz do PAN, Inês Sousa Real, defendeu, este domingo, na proposta de Orçamento do Estado para 2023 o Governo deve apostar nos transportes públicos e na revisão dos escalões de IRS, além da valorização da proteção animal. “É fundamental que no Orçamento do Estado se garanta uma maior aposta nos transportes públicos, a revisão […]

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

Cotrim de Figueiredo diz que a única certeza na TAP é a perda de dinheiro

O líder da IL comentava as declarações do primeiro-ministro, que disse, na quinta-feira, esperar que a privatização da TAP ocorra nos próximos doze meses.
Comentários