ISAL aprova plano para a igualdade de género

O plano do ISAL leva em consideração as recomendações da Organização das Nações Unidas, da Comissão Europeia, ou a Área Europeia de Investigação.

O Instituto Superior de Administração e Línguas (ISAL) aprovou, em Conselho de Direção, o Plano para a Igualdade de Género 2023/2026.

“As Instituições de Ensino Superior, como focos de produção científica e de pensamento crítico, são espaços privilegiados para a discussão da heterogeneidade e dos seus impactos, positivos e negativos, promovendo para a construção de mecanismos, medidas e ações que permitam o reconhecimento e alcance da plena paridade entre homens e mulheres”, disse o diretor geral do ISAL, José Quaresma.

A instituição de ensino sublinha que apesar de não ser uma entidade que seja obrigada à elaboração anual de um plano de igualdade de género, “reconhece as vantagens de elaboração do mesmo, pelo que o elaborou de acordo com as recomendações de algumas instâncias supranacionais, como a Organização das Nações Unidas (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030), Comissão Europeia (Horizonte Europa) ou a Área Europeia de Investigação”.

O plano inclui propostas e ações a implementar como o estudo do género a incluir na linha de investigação – Ciências Sociais e Humanas.

“Não basta o mero reconhecimento formal da igualdade de género, são antes necessárias ações efetivas de concretização desta igualdade ao nível político, económico, social e cultural”, acrescentou a vice-diretora do ISAL, Sancha de Campanella.

Recomendadas

PremiumMadeira: Denúncias de alegadas más práticas na maternidade não chegaram à Ordem

Ordem dos Médicos da Região decidiu não se pronunciar sobre o assunto e o SESARAM optou por não responder. Por sua vez, a Ordem dos Enfermeiros diz não ter recebido queixas.

Governo da Madeira aumenta subsídio de mobilidade para os residentes do Porto Santo

Os preços do transporte marítimo aumentaram, pelo que  Governo Regional revê, agora, o valor do subsídio a atribuir, de modo a absorver esse aumento tarifário, que será de 7,03% para a carga e 7,04% para os passageiros.

PremiumSilêncio depois do terramoto provocado por Sérgio Marques

As declarações de Sérgio Marques levaram à renúncia do mandato como deputado na Assembleia da República. Grupos económicos têm desvalorizado afirmações do social democrata.
Comentários