Ivo Rosa vai devolver 700 mil euros a Ricardo Salgado (com áudio)

Segundo o “Correio da Manhã”, Ivo Rosa considera inválido despacho de Carlos Alexandre que manteve o arresto preventivo sobre a conta da mulher do ex-banqueiro.

O juiz Ivo Rosa deverá devolver em breve 700 mil euros a Ricardo Salgado, na sequência do anulamento de uma decisão de Carlos Alexandre de 2017, na qual decretou o arresto preventivo de uma conta de Maria João Salgado no Deutsche Bank português. Segundo o “Correio da Manhã”, o montante reporta-se a uma alegada venda de um imóvel detido pela mãe de Ricardo Salgado, então falecida.

Segundo a defesa do antigo banqueiro, a quantia pertenceria a Maria João Bastos Salgado, que não é arguida no processo referente à queda do antigo BES. No entanto, e dadas as suspeitas de que este valor poderia dissipar-se (até pelas ordens bancárias que por ele já recaíam), Carlos Alexandre decretou que se mantivesse o arresto dos bens.

Ivo Rosa veio agora anular a decisão, considerando que Ricardo Salgado não teve possibilidade de produzir prova em sua defesa, tendo, portanto, sido violado o princípio do contraditório. Para o próximo dia 10 está marcada uma audição de Maria João Bastos Salgado, para que se possa retificar esta situação e o dinheiro possa ser devolvido. O Ministério Público já fez saber que recorrerá da decisão.

Recomendadas

Montepio aumenta para 1,25 mil milhões a emissão de obrigações hipotecárias que vencem em 2026

Na prática, é um reforço da emissão, mas em concreto o banco liderado por Pedro Leitão anuncia a ficha de uma nova emissão de 750 milhões de euros que são fungíveis com os 500 milhões já emitidos, pelo que no final a emissão total sobe para 1.250 milhões de euros.

“Falar Direito”. “Diploma da renegociação cria ónus sobre bancos que têm crédito à habitação”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica quais são, na sua perspetiva, os dois principais problemas associados ao novo diploma relativo à renegociação de créditos.

Renegociação de créditos: o que muda com a nova lei? Ouça o “Falar Direito”

O advogado Francisco Barona, sócio do departamento financeiro e governance da Sérvulo, explica o que muda para consumidores e banca com a entrada em vigor do novo diploma relativo à renegociação de créditos.
Comentários