Já foram criadas mais de 40 mil empresas em 2022

Até 31 de outubro foram constituídas 40.529 novas empresas em Portugal, um registo 16% superior ao do ano passado e que já está apenas 4% atrás de 2019, revela a Informa D&B.

Até 31 de outubro foram constituídas 40.529 novas empresas em Portugal, um registo 16% superior ao do ano passado e que já está apenas 4% atrás de 2019, revela a Informa D&B.

O sector dos Transportes continua com crescimentos muito significativos na criação de novas empresas, com mais 1 934 constituições do que em 2021, que correspondem a um aumento de 123%, revela o estudo.

A Informa D&B diz ainda que os sectores com maior número absoluto de novas empresas – Serviços empresariais e Serviços gerais – têm também crescimentos assinaláveis de 16% e 25%, respetivamente.

Apenas três sectores viram nascer menos empresas em 2022 do que em 2021, entre eles o Retalho, que regista uma descida mais acentuada de 10%, que corresponde a menos 422 constituições.

Face a 2019, as Tecnologias de Informação e Comunicação (+28%), as Atividades Imobiliárias (+18%) e os Serviços Empresariais (+3%) são os únicos sectores a superarem o registo do último ano antes da pandemia, revela a análise.

“Fruto do grande crescimento do sector dos Transportes, nomeadamente no subsector mais ligado às atividades turísticas e de transporte individual de passageiros, o distrito de Lisboa tem o maior aumento de novas empresas neste período, com mais 3.107 constituições do que em 2021”, acrescenta a Informa D&B.

O distrito do Porto, segundo maior distrito em número de constituições, regista apenas mais 595 novas empresas do
que em 2021, sendo negativamente impactado pelo sector do Retalho, com um recuo no número de constituições neste distrito. Em geral, a subida do número de novas empresas no período de janeiro a outubro de 2022 é transversal à maioria dos distritos de Portugal, conclui o estudo.

Encerramentos sem tendência definida

Mas a análise debruçou-se também sobre os encerramentos. Os números relativos ao encerramento de empresas não mostram uma tendência definida. Até 31 de outubro encerraram 10.078 empresas, mais 30 encerramentos que no período homólogo e que correspondem a um crescimento pouco significativo de 0,3%, constata a a Informa D&B. Neste período, metade dos sectores apresentam valores superiores a 2021.

O sector do Retalho, além de ser o que mais recua no número de novas empresas, é também o que mais contribui para o crescimento do número de encerramentos, com um aumento de 7,7% neste indicador, segundo a análise.

Insolvências continuam a descer até 31 de outubro

Até 31 outubros registaram-se 1 .353 novos processos de insolvência, menos 326 que em 2021, o que corresponde a
um decréscimo de 19%, refere o estudo.

Esta descida nos processos de insolvências é transversal à maioria dos sectores de atividade, com exceção dos Transportes, Agricultura e outros recursos naturais e Atividades imobiliárias, que registam aumentos, embora muito
pouco expressivos.

Recomendadas

Binter e Embrar fecham compra de cinco novas aeronaves por mais de 369 milhões de euros

As duas primeiras unidades estão previstas para chegar às Ilhas Canárias em novembro de 2023.

Manuel Champalimaud compra à Novares a área de injeção de plásticos para a indústria automóvel

A aquisição visa reforçar posição do Grupo Champalimaud no sector dos componentes de plástico decorativo e de interface para a indústria automóvel.

PremiumAmazon diz que “continua a fazer investimentos” de cloud em Portugal

A empresa norte-americana de computação na nuvem Amazon Web Services (AWCS)está a desenvolver um centro de dados no país, mas não se compromete com uma data de abertura.
Comentários