Jeremy Corbyn apresenta moção de censura contra Theresa May

Líder do ‘Labour’, principal partido da oposição, considera que o governo de May é “caótico”.

Reuters

O partido Trabalhista britânico vai apresentar uma moção de censura contra a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, notícia o jornal inglês “The Guardian”. Em causa está o facto de a ter governante ter atrasado a votação parlamentar sobre o acordo do Brexit, que foi negociado com a União Europeia.

No entanto, a publicação dá conta de não se tratar de uma moção de censura “própria” ao governo e, diferentemente  de uma moção de censura “própria”, o governo não terá de atribuir tempo de debate. O partido Trabalhista poderá, no entanto, debater a moção na próxima vez que lhe for alocado um dia debate, enquanto partido da oposição, o que poderá acontecer no próximo ano ou, até, nem acontecer (as fontes do partido não clarificaram este ponto ao diário inglês).

O partido Trabalhista alega que, se o governo não atribuir tempo de debate sobre a moção, demonstra que teme perdê-la, mas também que May não tem confiança no parlamento.

(atualizada)

 

Recomendadas

Ameaça nuclear de Putin “deve ser levada a sério”, alerta analista

“Estamos a abordar uma situação considerada impensável. Uma nova realidade”, vincou Eugene Rumer, ex-oficial dos serviços de informações para a Rússia e Eurásia no Conselho de Inteligência Nacional dos Estados Unidos e diretor do programa Rússia e Eurásia do Carnegie Endowment Endowment for International Peace.

Eleições em São Tomé. Patrice Trovoada exorta primeiro-ministro a reconhecer a derrota

O presidente da Ação Democrática Independente (ADI), partido mais votado nas legislativas de São Tomé e Príncipe, exortou hoje o primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, a reconhecer a derrota do MLSTP/PSD “o mais rapidamente possível” para apaziguar o clima social.

CPLP e comunidade da África Central negoceiam cooperação política e de formação em português

A Comunidade Económica dos Estados da África Central e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutiram hoje formas de cooperação no domínio político, desenvolvimento da língua portuguesa e comissões de observação eleitoral, referiram responsáveis das organizações.
Comentários