Jerónimo despede-se: “O vento está forte” mas os comunistas vão enfrentá-lo “virados para a frente”

Jerónimo de Sousa sustentou hoje, na despedida enquanto secretário-geral do PCP, que o “vento está duro e muito forte”, mas os comunistas vão enfrentá-lo “sempre virados para a frente”.

António Pedro Santos/Lusa

Na última intervenção que fez enquanto secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa não fugiu muitas vezes ao guião, mas acabou com um improviso: “O vento está duro e muito forte, fustiga-nos o rosto, mas nunca hão de ver-nos levar com ele de costas, porque estaremos sempre virados para a frente, em todo o nosso projeto, do nosso ideal, do nosso partido!”

Na abertura dos trabalhos da Conferência Nacional do PCP, em Corroios, concelho do Seixal, Jerónimo de Sousa falou de passar “o testemunho”, que vai acontecer hoje à noite quando o Comité Central votar o nome de Paulo Raimundo para seu sucessor.

“Aqui estamos, transportando o testemunho que gerações de comunistas nos legaram e que as atuais e novas gerações conduzirão com a mesma confiança na justeza da nossa luta e do nosso Partido em demanda da sociedade nova”, referiu, arrancando fortes aplausos dos delegados e militantes que preenchem o pavilhão do Alto do Moinho.

E finalizou com entusiasmo e fitando os “camaradas” que o escutavam: “Viva o partido comunista! Viva o partido comunista português”.

Seguiram-se aplausos, intercalados com punhos no ar e as palavras de ordem “PCP/PCP” e “assim se vê a força do PC”, e “PCP/Partido Comunista Português”, durante cerca de cinco minutos.

Paulo Raimundo, o homem que se segue na linha de sucessão do PCP em democracia, esteve quase sempre na mesma posição durante os 37 minutos que Jerónimo de Sousa discursou, levantando as sobrancelhas ocasionalmente quando o secretário-geral cessante ‘carregava’ em algum tópico. Nos momentos finais do discursos olhou-o fixamente e amanhã é a sua vez de puxar “pela força do PC” na primeira intervenção.

Relacionadas

PCP: Jerónimo reconhece que há insuficiências e deixa caderno de encargos

O secretário-geral cessante do PCP, Jerónimo de Sousa, reconheceu hoje que o partido tem dificuldades e insuficiências que “importa superar” e apelou à resistência dos comunistas contra a “brutal ofensiva” em curso.

Jerónimo de Sousa. 18 anos de liderança em 25 frases

Uma seleção de frases de Jerónimo de Sousa, que faz a sua última intervenção, na abertura da Conferência Nacional do PCP, como secretário-geral do PCP, após 18 anos à frente do partido.

PCP: Eleição do novo líder marca 4.ª Conferência do partido em cem anos

Quinze anos depois da última conferência, entre 900 e 1.000 delegados comunistas de todo o país, número previsto pelo partido, são chamados a debater e direcionar a intervenção do PCP nos próximos anos, no Pavilhão do Alto do Moinho, em Corroios, no Seixal, distrito de Setúbal.
Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcaram o dia informativo desta segunda-feira.

Santos Silva nega problema com o Qatar e assegura tranquilidade aos emigrantes (com áudio)

O presidente da Assembleia da República (AR), Augusto Santos Silva, assegurou hoje que não há qualquer problema de relacionamento entre Portugal e o Qatar, e salientou que todos os portugueses residentes naquele país asiático “podem estar tranquilos”.

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje às negociações (com áudio)

Sindicatos dos médicos e Ministério da Saúde voltam hoje a reunir-se para uma segunda ronda de negociações, depois do encontro realizado em 09 de novembro que deu início formal a este processo.
Comentários