Jerónimo formaliza saída do parlamento, Duarte Alves é o substituto na bancada do PCP (com áudio)

Depois de anunciar no domingo que ia deixar de ser deputado, Jerónimo de Sousa “formalizou hoje a apresentação da sua renúncia ao mandato de deputado na Assembleia da República”, anunciou em comunicado a direção comunista.

O líder e deputado do PCP, Jerónimo de Sousa, durante o debate sobre Orçamento do Estado de 2022, na Assembleia da República, em Lisboa, 28 de abril de 2022. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

O secretário-geral cessante do PCP, Jerónimo de Sousa, apresentou hoje a renúncia ao mandato de deputado à Assembleia da República e vai ser substituído por Duarte Alves, um dos mais jovens dirigentes do partido.

Depois de anunciar no domingo que ia deixar de ser deputado, Jerónimo de Sousa “formalizou hoje a apresentação da sua renúncia ao mandato de deputado na Assembleia da República”, anunciou em comunicado a direção comunista.

Duarte Alves, de 31 anos, era o ‘número três’ pelo círculo eleitoral de Lisboa nas últimas eleições legislativas (onde o PCP apenas elegeu dois deputados, Jerónimo de Sousa e Alma Rivera) e vai substituir o secretário-geral cessante.

O economista já foi deputado durante as XIII e XIV legislaturas e ficou conhecido por integrar a comissão de inquérito às perdas do Novo Banco imputadas ao Fundo de Resolução. No parlamento acompanhava matérias como o Orçamento do Estado e finanças, e energia.

Recomendadas

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta segunda-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta segunda-feira.

Eutanásia: PSD com disciplina de voto a favor do referendo, mas serão admitidas exceções

“Temos no PSD uma posição que é uma tradição e que vamos manter viva, de relativamente à questão substantiva, haver liberdade total, e na questão política haver uma orientação que corresponde ao exercício da disciplina de voto”, afirmou o presidente do PSD, Luís Montenegro, em conferência de imprensa, depois de anunciar que a bancada irá propor um referendo sobre a despenalização da morte medicamente assistida.

Novo “braço direito” de Costa e turbilhão na Economia. Veja a análise à remodelação no Governo

Ao fim de oito meses, António Costa procedeu à maior remodelação governamental da maioria absoluta: chamou para junto de si um “velho conhecido” e afastou dois secretários de Estado desfasados do ministro da Economia. Veja a análise de Ricardo Santos Ferreira, diretor adjunto do semanário Novo.
Comentários