Jerónimo Martins e Galp fazem PSI20 abrir no ‘vermelho’

A retalhista Jerónimo Martins e a energética Galp estão a fazer com que a bolsa portuguesa negoceie em terreno negativo. Esta é a quinta sessão consecutiva em que o índice abre no ‘vermelho’.

A bolsa portuguesa (PSI20) está esta quinta-feira, 20 de janeiro, a abrir a sessão em terreno negativo. A praça lisboeta abre a descer 0,11% para 5,654.43 pontos, depois da sessão anterior ter fechado no ‘verde’. Esta é a quinta sessão consecutiva em que o PSI20 abre a perder.

A Novabase desliza 2,92% para 5,32 euros, a Jerónimo Martins perde 1,10% para 21,63 euros, a Galp cai 0,79% para 9,75 euros, a Sonae recua 0,30% para 1,01 euros e a Corticeira Amorim deprecia 0,37% para 10,74 euros. Também o BCP cai 0,43% para 0,16 euros.

No sentido inverso, a Altri avança 1,22% para 5,80 euros, a Ramada sobe 0,84% para 7,22 euros, a Mota-Engil soma 0,55% para 1,29 euros. A EDP segue a valoriza 0,07% para 4,52 euros.

Na abertura da sessão, a Europa está a negociar em terreno misto. O alemão DAX perde 0,16%, o francês CAC desliza 0,32%, o espanhol IBEX sobe 0,02%, o britânico sobe 0,17% e o italiano valoriza 0,04%. O Euro Stoxx segue a desvalorizar 0,25% para 4.257,45 pontos.

No mercado petrolífero, o Brent perde 0,80% para 87,73 dólares e o WTI recua 0,57% para 85,31 dólares. Apesar da quebra ao dia de hoje, os preços continuam elevados devido às tensões geopolíticas. O gás natural encontra-se a negociar  no ‘vermelho’, perdendo 0,77% para 4,000 dólares.

No mercado cambial, o euro sobe 0,19% para 1,1362 dólares e a libra esterlina ganha 0,18% para 1,3630 dólares.

Recomendadas

Wall Street fecha em alta após Fed sinalizar continuidade da subida dos juros

As ações da Nvidia, fabricante de peças para computador, dispararam mais de 5%, a poucos minutos de publicar as contas trimestrais. Os analistas antecipam um lucro por ação de 1,3o dólares nos primeiros três meses do ano fiscal de 2023.

BdP comprou 20,3 mil milhões de euros de dívida portuguesa e financiou bancos em 41,8 mil milhões

O Relatório de Implementação da Política Monetária do banco central mostra que o seu balanço cresceu 14% no último ano, atingindo assim novos máximos históricos. Mesmo com o fim do programa de emergência pandémica, Portugal tem margem para aumentar o nível de compras líquidas, visto estar abaixo da sua chave de capital.

AllianzGI: Abrandamento mais significativo da economia pode travar ritmo de subida de juros

A Diretora Global de Investimento em ações da AllianzGI, Virginie Maisonneuve, alerta que o abrandamento da economia deverá ser mais significativo do que se espera. E isto poderá levar os bancos centrais a subirem menos as taxas de juro do que aquilo que os mercados antecipam.
Comentários