Jerusalém: Israel saúda decisão da Guatemala e diz que “mais países se seguirão”

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, acredita que esta decisão vai abrir a porta para que outros países se juntem aos Estados Unidos e à Guatemala no reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado de Israel.

Atef Safadi/Reuters

O Governo de Israel saudou esta segunda-feira a decisão da Guatemala de transferir a embaixada do país de Telavive para Jerusalém, tal como os Estados Unidos já anunciaram. O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, acredita que esta decisão vai abrir a porta para que outros países se juntem aos Estados Unidos e à Guatemala no reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado de Israel.

“Outros países reconhecerão Jerusalém [como capital de Israel] e irão anunciar a transferência de sua embaixada. Um segundo país fez isso e, repito, haverá outros, é apenas um começo e é importante”, afirmou o chefe do Governo israelita em comunicado.

A Guatemala anunciou este domingo a sua intenção de transferir a embaixada do país em Israel para a cidade de Jerusalém. O presidente da Guatemala, Jimmy Morales, indica que  já deu instruções à chanceler do país para que inicie as diligências nesse sentido, para o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

Jerusalém alberga locais sagrados para muçulmanos, judeus e cristãos e que é alvo de sérias disputadas entre eles. O anúncio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o ter feito à rebelia da Organização das Nações Unidas e a aumentando onda de tensão no Médio Oriente.

Os 128 países-membros da Assembleia-geral da ONU já aprovaram uma resolução contra o reconhecimento dos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel. Além da Guatemala, as Honduras, Islas Marshall, Micronesia, Nauru, Palau e Togo aliaram-se aos Estados Unidos nesta decisão. A questão de Jerusalém é uma das mais complicadas e delicadas do conflito israelo-palestiniano.

Relacionadas

Guatemala junta-se aos Estados Unidos no reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel

O país junta-se aos Estados Unidos no reconhecimento de Jerusalém como capital do Estado de Israel, depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o ter feito à rebelia da Organização das Nações Unidas e a aumentando onda de tensão no Médio Oriente.
Recomendadas

Consórcio confirma existência de petróleo em São Tomé e Príncipe

O consórcio é composto pela Galp STP (operador) com 45% de interesses participativos, Shell STP com 45%, e a ANP–STP, em representação do Estado são-tomense, com 10% de interesses participativos.

Bósnia-Herzegovina: eleições ensombradas por milhares de votos inválidos

Quatro dias após as eleições, ainda não há resultados validados e o risco do não reconhecimento do ato eleitoral ou da sua repetição é grande. Entretanto, na República Srpska, Mirolad Dodic jura fidelidade a Moscovo.

Lado turco de Chipre exige reconhecimento às forças de paz da ONU

A República Turca do Chipre do Norte, país que só a Turquia reconhece, quer que a força de paz da ONU, que está no terreno desde 1964, reconheça a existência do país. Ou então que se retire.
Comentários