Jihadistas ameaçam de morte SEAL que matou Bin Laden

Um antigo comando das forças especiais da Marinha norte-americana, SEAL, afirmou publicamente ter sido quem matou o líder da Al-Qaida Usama bin Laden, atraindo imediatamente ameaças de morte de jihadistas. Robert O’Neill, de 38 anos, afirmou na quinta-feira ao diário Washington Post ter matado, com um tiro na cabeça, Bin Laden a 2 de maio […]

Um antigo comando das forças especiais da Marinha norte-americana, SEAL, afirmou publicamente ter sido quem matou o líder da Al-Qaida Usama bin Laden, atraindo imediatamente ameaças de morte de jihadistas.

Robert O’Neill, de 38 anos, afirmou na quinta-feira ao diário Washington Post ter matado, com um tiro na cabeça, Bin Laden a 2 de maio de 2011 durante um ataque dos SEAL ao seu esconderijo em Abbottabad, no Paquistão.

Os jihadistas começaram logo a lançar ameaças de morte contra O’Neill, revelou o SITE, organização que vigia os sites na Internet e os media utilizados pelos jihadistas.

Fotografias daquele comando dos SEAL acompanhadas de mensagens em árabe e em inglês apelando a “lobos solitários” para vingarem a morte do líder da Al-Qaida foram divulgadas na rede social de mensagens curtas Twitter e no foro dos jihadistas al-Minbar, indicou o SITE.

“Enviaremos aos lobos solitários na América a fotografia deste Robert O’Neill que matou o xeque Usama bin Laden”, refere uma das mensagens em árabe, enquanto outra declara nas duas línguas: “Para vocês, caros muçulmanos nos EUA, eis a oportunidade de entrarem no Paraíso”.

O antigo soldado daquelas forças especiais disse ao jornal ter decidido revelar o seu nome após uma fuga orquestrada pelo SOFREP, um site de antigos SEAL

 

OJE/Lusa

Recomendadas

Ministra sinaliza que trabalhadores que recebem salário mínimo não terão perda de poder de compra em 2023

Vem aí uma “negociação intensa”, antecipou a ministra do Trabalho, à saída da reunião em que apresentou aos parceiros sociais as propostas do Governo para o acordo de rendimentos. Entre elas, está a vontade que o salário mínimo suba mais do que a inflação.

Fenadegas pede apoio para adegas cooperativas e produtores de vinho

A Fenadegas diz que “contrariamente às expetativas criadas, nas medidas anunciadas pelo governo para colmatar os efeitos negativos desta crise, não foi previsto nenhum apoio específico para os produtores de vinho e suas unidades de vinificação”.

Goldman Sachs prevê queda de 1% do PIB da zona euro até ao segundo trimestre

“Os sectores químico e automóvel da Alemanha confirmam que o ritmo de paralisações por causa do aumento dos custos de energia provavelmente acelerará”, reforçam os economistas do Goldman Sachs.