João Cotrim Figueiredo reeleito com 94% dos votos à frente da Iniciativa Liberal

Moção de estratégia global, cujo primeiro mandatário é Cotrim Figueiredo, teve 688 votos a favor, 22 abstenções e 21 votos contra. Convenção da Iniciativa Liberal também aprovou oito moções sectoriais e uma nova declaração de princípios.

João Cotrim de Figueiredo
João Cotrim Figueiredo

A lista única de João Cotrim Figueiredo à Comissão Executiva da Iniciativa Liberal (IL) foi hoje eleita com 94% dos votos, sendo assim o presidente reeleito para um novo mandato à frente dos destinos liberais.

No último dia da VI Convenção Nacional da IL, no Centro de Congressos de Lisboa, os membros votaram, de forma digital, para a nova direção e para a moção de estratégia global.

João Cotrim Figueiredo voltou a candidatar-se sem oposição interna e a sua lista única à Comissão Executiva obteve 94% dos votos a favor.

De acordo com os resultados anunciados pela mesa, a moção de estratégia global, cujo primeiro mandatário é Cotrim Figueiredo, teve 688 votos a favor, 22 abstenções e 21 votos contra.

Assim, o deputado único liberal, João Cotrim Figueiredo, continuará a ser o presidente da IL durante mais um mandato, tendo apostado numa lista de continuidade para a direção apesar de algumas saídas e entradas.

Entre as novidades da nova direção está a entrada, como vogais, de um dos fundadores do Movimento Europa e Liberdade (MEL) Paulo Carmona, do professor catedrático Miguel Pina e Cunha e da advogada Ana Pedrosa-Augusto, que foi vice-presidente eleita no primeiro congresso do Aliança e integrou já as listas da IL à Câmara de Lisboa nas últimas autárquicas, para além do assessor do partido e militante número dois da IL, Rodrigo Saraiva.

De saída deste órgão estão Mónica Mendes Coelho e Maria Castello-Branco.

De acordo com os estatutos, a Comissão Executiva é a direção do partido, ou seja, o órgão responsável pela condução política do dia-a-dia do partido, pela sua estruturação e contínua administração.

A Comissão Executiva recebe da Convenção Nacional o mandato de implementar a moção de estratégia global, com a qual foi a Comissão Executiva eleita.

Em 08 de dezembro de 2019, na reunião magna em Pombal em que foi eleito para o primeiro mandato, João Cotrim Figueiredo, também em candidatura única, recolheu então 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido.

 

Lista eleita para a Comissão Executiva:

 

Presidente: João Cotrim Figueiredo

Vice-Presidentes: Ricardo Pais Oliveira e António Costa Amaral

Secretário-Geral: Miguel Rangel

Tesoureiro: Bruno Mourão Martins

Vogais: Rodrigo Saraiva, Carla Castro, Bernardo Blanco, João Caetano Dias, Vicente Ferreira da Silva, Rafael Corte Real, Miguel Pina e Cunha, Catarina Maia, Paulo Carmona, Luis Nascimento, Pedro Schuller, Ana Pedrosa Augusto, Rui Rocha, Leonor Dargent, Cláudia Vasconcelos, Ricardo Zamith, Miguel Noronha, Ana Vasconcelos Martins, Rui Ribeiro e Pedro Almeida.

Recomendadas

5 de outubro: Montenegro acusa Governo de degradar ambiente político com casos

Luís Montenegro falava aos jornalistas no final da cerimónia oficial das comemorações do 112.º aniversário da implantação da República em Portugal, na qual o Presidente da República falou dos governos que “tendem quase sempre a ver-se como eternos” e das oposições “quase sempre a exasperarem-se pela espera”, afirmando em seguida que “nada é eterno” e que “a democracia é por natureza o domínio da alternativa, própria ou alheia”.

Primeira-ministra dinamarquesa convoca eleições antecipadas para novembro

O Partido Social Liberal, uma das formações que dá maioria ao Governo social-democrata, tinha ameaçado Frederiksen com uma moção de censura se não convocasse eleições, após apresentar em junho um relatório crítico sobre a gestão feita pelo executivo em relação ao abate de milhões de visons, devido a uma mutação do coronavírus.

Itália. Governo Meloni deverá misturar técnicos e fiéis da líder

O próximo Governo de Itália, chefiado por Giorgia Meloni, deverá combinar figuras de renome técnico, em pastas cruciais para as relações com Bruxelas, e fiéis da futura primeira-ministra, segundo analistas ouvidos pela Lusa.
Comentários