João Nuno Palma vai para a administração do BCP

João Nuno Palma será o novo administrador executivo do BCP, nomeado pela Fosun. Para já, os chineses não vão nomear mais nenhum administrador para o banco liderado por Nuno Amado. Data de entrada ainda não está definida.

O ex-administrador da Caixa Geral de Depósitos, que tinha o pelouro financeiro na equipe de José de Matos vai ser o administrador do BCP nomeado pela Fosun, soube o Jornal Económico que tentou confirmar com João Nuno Palma mas sem sucesso.

O nome de João Nuno Palma foi hoje avançado pelo Público como tendo sido sondado para o BCP, pela Fosun, mas o Jornal Económico sabe que é mesmo o representante indicado pelos chineses para o Millennium BCP.

João Nuno Palma é o nome que a Fosun irá enviar para o BCE para a avaliação de “fit and proper”, e deverá integrar a comissão executiva do banco liderado pro Nuno Amado. A entrada de João Nuno Palma só deverá ocorrer no próximo ano.

De lembrar que João Nuno Palma trabalhou no Grupo Champalimaud, onde também esteve Jorge Magalhães Correia presidente da Fidelidade.

A Fosun que controla a Fidelidade e Luz Saúde pagou 175 milhões por 16,7% do banco, tem direito a dois administradores executivos, a serem cooptados, mas para já só vai nomear um.

Os chineses têm ainda direito a nomear 5 novos membros para o Conselho de Administração do BCP no contexto e em proporção do aumento da participação. A Fosun quer chegar a 30%.

A Sonangol já teve autorização do BCE para reforçar para 30% no BCP, mas ainda não há qualquer ‘demárche’ dos angolanos no sentido de reforçar, sendo de esperar que tal só ocorra no próximo ano.

Neste momento o BCP tem 20 administradores, mas deverá sair João Resende que representa o Sabadell que vendeu recentemente a sua participação.

 

Recomendadas

Bancos sujeitos a coimas até 1,5 milhões se não aplicarem diploma do Governo para crédito à habitação

Está já em vigor, a partir deste sábado, o diploma que estabelece medidas destinadas a mitigar os efeitos do incremento dos indexantes de referência de contratos de crédito para aquisição ou construção de habitação própria permanente. Bancos têm 45 dias a partir de hoje para aplicar as medidas.

Complemento excecional a pensionistas: SNQTB remeteu nova carta ao Primeiro-Ministro

Depois do OE2023 ter sido aprovado o Sindicato Nacional dos Quadros e Técnicos Bancários diz que “o Partido Socialista mantém a injustiça em relação aos bancários reformados que foram indevidamente excluídos da atribuição do complemento excecional a pensionistas”.

Sete bancos lucraram dois mil milhões até setembro, mais 71% do que no período homólogo

Os lucros dos sete maiores bancos – Caixa Geral de Depósitos, BCP, Novobanco, Santander Totta, BPI, Crédito Agrícola e Banco Montepio somam 2.006,3 milhões de euros até setembro deste ano, o que compara com um valor de 1.172 milhões nos nove meses do ano passado. O que significa que os lucros dos sete bancos cresceram 71,2%.
Comentários