João Rendeiro propõe fiança de 2.190 euros para sair em liberdade (com áudio)

A informação foi divulgada pelo advogado Sean Kelly que defende o pedido de libertação do ex-banqueiro sob caução.

Miguel Fonseca / Lusa

João Rendeiro pretende sair em liberdade sob caução e esta quarta-feira, 14 de dezembro, o seu advogado de defesa Sean Kelly, avançou com o valor de 2.190 euros (40 mil rands) para que o ex-banqueiro possa ser um homem livre.

O Ministério Público português já fez saber que não só não vai aceitar este pedido de liberdade sob caução, como vai formalizar o pedido de extradição de João Rendeiro no “prazo legalmente previsto” apesar do “limitado quadro de tradutores”.

O Ministério Público emitiu um esclarecimento esta quarta-feira no âmbito de vir a falhar o prazo para a apresentação do pedido de extradição do ex-banqueiro português por falta de tradutores, segundo noticiou esta manhã o “Público”.

“O Ministério Público não deixará de formalizar o referido pedido de extradição no prazo legalmente previsto”, lê-se no comunicado da Procuradoria-Geral da República.

“Pese embora o limitado quadro de tradutores ao serviço da Procuradoria-Geral da República, essa circunstância não constituirá impedimento a que, no respeito do prazo a que alude o art.º 16.º da Convenção Europeia de Extradição, seja realizada a respetiva tradução”, esclarece a entidade nacional.

“Na verdade, se tal se revelar imprescindível poderá sempre recorrer-se a contratação externa para esse efeito”, evidencia.

Ou seja, mesmo que não existam tradutores ao serviço do Ministério Público, a Procuradoria-Geral da República pode recorrer a um tradutor externo para acelerar o processo de extradição do ex-presidente do Banco Privado Português.

O ex-banqueiro, atualmente detido na África do Sul desde o último sábado, admitiu que não tem intenção de voltar a Portugal, onde lhe aguarda uma pena de prisão efetiva de cinco anos e oito meses. “Não vou regressar a Portugal”, disse João Rendeiro.

Relacionadas

Rendeiro. Justiça portuguesa garante que vai entregar pedido de extradição a tempo, apesar da falta de tradutores (com áudio)

“Pese embora o limitado quadro de tradutores ao serviço da Procuradoria-Geral da República, essa circunstância não constituirá impedimento a que seja realizada a respetiva tradução”, esclarece o Ministério Público.

BPP: Rendeiro diz que não está a desafiar a justiça portuguesa

O antigo banqueiro João Rendeiro disse hoje que não está a desafiar a justiça portuguesa ao dizer que não vai voltar para Portugal.

João Rendeiro pode ser libertado por falta de tradutores em Portugal. Advogada vai alegar detenção ilegal (com áudio)

Ex-banqueiro vai ser ouvido num local alternativo por falta de eletricidade no tribunal. “Público” revela que falta de tradutores está a dificultar o envio do pedido de extradição para a África do Sul. Rendeiro tem de ser libertado ao fim de 40 dias.
Recomendadas

Justiça suíça abre processo sobre fuga de informação no Credit Suisse

Em fevereiro de 2022 foram expostas mais de 18 mil contas do Credit Suisse que estarão ligadas a empresários sobre os quais recaem sanções ligadas à violação dos direitos humanos, e pessoas envolvidas em esquemas de fraude.

Tribunal de Leiria condena homem a 10 anos de prisão por abuso sexual de enteadas

O Tribunal Judicial de Leiria condenou um homem a 10 anos de prisão por cinco crimes de abuso sexual de criança agravados, de que foram vítimas duas irmãs, suas enteadas, segundo o acórdão hoje consultado pela agência Lusa.

Processo que envolve direção do Benfica em segredo de justiça

Os advogados do Benfica referiram hoje que o processo em que a SAD e membros do Conselho de Administração do mandato 2016-2020 foram constituídos arguidos está em “segredo de justiça” e que a divulgação “pode constituir ilícito criminal”.
Comentários