‘Jogo Económico’: Do Liverpool a Jorge Jesus, quem foram os melhores do ano ‘lá fora’

Da baliza ao ataque, passando pelo banco de suplentes e protagonistas, João Marcelino e Luís Miguel Henrique fizeram uma seleção criteriosa de quem mais se destacou em 2019. Não perca as escolhas dos nossos comentadores esta quinta-feira, a partir das 19h00, no site e nas redes sociais do “Jornal Económico”.

Num ano marcado pela consagração internacional do Liverpool de Jurgen Klopp na Liga dos Campeões e pelo enorme impacto de Jorge Jesus no Flamengo, com a conquista da Copa Libertadores e Brasileirão, dedicamos a última edição de 2019 do ‘Jogo Económico’ às escolhas dos melhores do ano no panorama internacional.

Não perca as escolhas dos nossos comentadores esta quinta-feira, a partir das 19h00, no site e nas redes sociais do “Jornal Económico”.

Da baliza ao ataque, passando pelo banco de suplentes e protagonistas, João Marcelino e Luís Miguel Henrique fizeram uma seleção criteriosa de quem mais se destacou num ano que contou ainda com a conquista da primeira edição da Liga das Nações por parte da Seleção portuguesa.

Recomendadas

Luís Gomes: “O país precisa de uma nova arquitetura da Função Pública”. Veja o “Discurso Direto”

Discurso Direto é um podcast do Novo Semanário e do Jornal Económico onde todas as semanas são entrevistados os protagonistas da política, da economia, da cultura e do desporto.

“Café com o CEO”. Assista à conversa com o Dr. Luís Teles, em direto a partir de Luanda

“Café com o CEO” é uma iniciativa promovida pela empresa angolana E.J.M, fundada por Edivaldo Machado em 2012, que procura dar a conhecer os líderes que estão a dar cartas em Angola e outros países da Lusofonia. Assista à sessão em direto de Luanda, capital angolana.

Rogério Carapuça: “Há que estar entre os primeiros, não ser o primeiro dos últimos”

O presidente da APDC considera que o desenvolvimento do sector das TIC se dá a um ritmo saudável apesar dos obstáculos concretos que ainda impedem o país de estar entre os melhores classificados. A capacitação e qualificação das pessoas e das empresas são desafios no topo da agenda, mas a simplificação é palavra de ordem para abandonar o paradigma da burocracia que assombra os serviços públicos, alerta Rogério Carapuça.
Comentários