José Mourinho despedido do Manchester United

“O Manchester United anuncia que o treinador José Mourinho deixou o clube com efeitos imediatos”, lê-se no comunicado publicado no site do clube.

José Mourinho – Chelsea FC e Real Madrid

Dois anos e meio depois de ter assumido o cargo de treinador principal do Manchester United, José Mourinho, de 55 anos, foi despedido, fez saber o clube inglês esta terça-feira.

“O Manchester United anuncia que o treinador José Mourinho deixou o clube com efeitos imediatos”, lê-se no comunicado publicado no site do clube.

O clube de Old Trafford agradece a José Mourinho “pelo seu trabalho durante o seu tempo no Manchester United e desejar-lhe sucesso no futuro”.

Quanto à sucessão no comando técnico dos red devils, é firmado que “um treinador interino será nomeado até o final da atual temporada, enquanto o clube conduz um processo de recrutamento completo para um novo manager em tempo integral”.

Mourinho chegou a Manchester na época 2016/2017, sendo essa a única temporada em que alcançou títulos no clube, a Taça da Liga inglesa, Supertaça de Inglaterra e Liga Europa. O treinador português deixou o comando técnico do Manchester United quando o clube ocupa o sexto lugar da Premier League, a primeira liga inglesa de futebol.

Após 17 jornadas, o Manchester United ocupa o sexto lugar do campeonato, com 26 pontos, menos 19 do que o líder Liverpool.  À 17.ª jornada da Premier League, o Manchester de Mourinho perdeu por 3-1 com o líder Liverpool, na casa do rival, Anfield Road.

Após a derrota, Mourinho afirmou que a conquista do título seria impossível, apontando ao quarto lugar como objetivo da época do clube inglês. “Se me perguntam se podemos ganhar o título, claro que não, é irreversível. Ainda podemos chegar ao quarto lugar, mas não vai ser fácil. De certeza que vamos terminar nos seis primeiros, mas o máximo que poderemos ambicionar é um dos lugares de acesso à Liga dos Campeões”, desabafou Mourinho depois da derrota em Anfield Road.

A derrota com o Liverpool fez ainda com que o Manchester United igualasse o pior arranque de temporada desde a época 1990/1991 – 26 pontos em 17 jogos. Nesse ano, a equipa então treinada pelo emblemático Alex Ferguson terminou o campeonato no sexto lugar, a 24 pontos do, então, campeão Arsenal.

José Mourinho, que há já algumas jornadas era criticado pelos escassos resultados e pelas exibições fracas do Manchester United, acabou por não resistir ao mau momento. Os adeptos do Manchester United, após a derrota com o Liverpool, lançaram nas redes sociais a hashtag “#JoseOut”.

Além do sexto lugar, Mourinho sai de Old Trafford, após sete vitórias apenas, cinco empates e cinco derrotas. Outro fator a manchar o legado de ‘Mou’ é o número de golos que a equipa sofreu até hoje: 29, mais um do que em toda a temporada passada. E nos cinco desafios já realizados com os cinco primeiros classificados não venceu uma única partida.

O único feito da época a dar alguma alento à performance de Mourinho reside no facto de ter colocado o Manchester United nos oitavos de final da Liga dos Campeões, onde agora vai medir forças com o Paris Saint-Germain.

Notícia atualizada às 10h32

Relacionadas

Mourinho chega a acordo com Justiça espanhola e paga dois milhões de euros por ocultar rendimentos em ‘offshore’

O treinador do Manchester United assume a culpa de ter ocultado do fisco espanhol os valores obtidos, através da sociedade Koper Services, Lda, registada nas Ilhas Virgens Britânicas.

E se o próximo ‘patrão’ de Mourinho for um príncipe herdeiro?

Muito se fala em Inglaterra da possível saída de José Mourinho do Manchester United mas na Grã-Bretanha há quem aponte que o clube pode mudar de mãos.

Por que as ações do Manchester United não sofrem com as derrotas de Mourinho?

Apesar do mau início de campeonato, os títulos do clube inglês continuam a registar uma boa performance.
Recomendadas

Zelensky insiste com primeiro-ministro britânico que Rússia “não tem lugar” nos Jogos Olímpicos de Paris

Por seu lado, Sunak explicou ao presidente ucraniano que o Reino Unido está agora focado em “garantir que o equipamento militar defensivo” do país “chegue à linha da frente o mais rapidamente possível”.

Possível participação de russos nos Jogos Olímpicos de Paris gera discórdia entre Ucrânia e organizações internacionais

Como é habitual com o conflito na Ucrânia, a polémica passou as fronteiras russas e ucranianas e o assunto polarizou-se com organismos internacionais a favor da postura do COI, e alguns dos principais aliados de Kiev em oposição frontal à medida.

Chelsea e o cheque de 612 milhões: o “fair-play” da UEFA é uma treta? Veja o “Jogo Económico

Será o “fair-play” financeiro da UEFA para levar a sério? Só o Chelsea gastou mais dinheiro em janeiro do que todos os clubes na Bundesliga, La Liga, Serie A e Ligue 1 e esta época, os “blues” investiram 612 milhões de euros. Luís Cassiano Neves, sócio fundador da 14 Sports Law, é o convidado desta edição.
Comentários