José Sócrates fica em prisão preventiva

O ex-primeiro-ministro José Sócrates fica em prisão preventiva. A decisão foi anunciada pelo advogado de Sócrates, João Araújo, à porta do Campus de Justiça, em Lisboa. João Araújo diz que é “uma decisão injusta”. Sócrates e os outros dois arguidos, a quem o tribunal aplicou na segunda-feira à noite a prisão preventiva, vão para o […]

O ex-primeiro-ministro José Sócrates fica em prisão preventiva.

A decisão foi anunciada pelo advogado de Sócrates, João Araújo, à porta do Campus de Justiça, em Lisboa.

João Araújo diz que é “uma decisão injusta”.

Sócrates e os outros dois arguidos, a quem o tribunal aplicou na segunda-feira à noite a prisão preventiva, vão para o estabelecimento prisional anexo à Polícia Judiciária, em Lisboa.

Segundo afirmaram à Lusa fontes policiais, José Sócrates, o seu motorista João Perna e o empresário Carlos Santos Silva vão ser transportados do Campus da Justiça numa carrinha celular, depois de o Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC) ter determinado na noite de segunda-feira a prisão preventiva aos três arguidos.

José Sócrates, também o seu amigo e antigo administrador do grupo Lena de construção Carlos Santos Silva e o motorista do ex-governante João Perna viram ser-lhes decretada a prisão preventiva. Apenas o advogado Gonçalo Trindade Ferreira vai sair em liberdade, com Termo de Identidade e Residência, com proibição de contactar os restantes arguidos, de sair do país e com obrigação de apresentações periódicas às autoridades.

José Sócrates e Carlos Santos Silva estão indiciados por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e corrupção e o motorista João Perna por fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e detenção de arma proibida. O advogado Gonçalo Ferreira é suspeito de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

O Ministério Público esteve até às 22h30 a preparar a fundamentação do pedido das medidas de coação para José Sócrates e outros arguidos detidos no âmbito da Operação Marquês.

Carlos Caldeira, com Lusa

Recomendadas

Crise/inflação: Costa recusa razões para alarmismo sobre panorama dos créditos à habitação

António Costa procurou assegurar que o seu Governo está “atento” face ao impacto da subida dos juros nas prestações a pagar pelas famílias com créditos à habitação.

Costa espera privatização da TAP em 12 meses. Admite que Estado possa perder dinheiro

O primeiro-ministro disse hoje esperar que a privatização da TAP ocorra nos próximos doze meses, afirmando que “só se fosse irresponsável” é que garantiria que o Estado não irá perder dinheiro na transação, mas “espera que não”.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quinta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quinta-feira.