Jovens britânicos gastam um terço do seu tempo com dispositivos eletrónicos

Entre os britânicos com menos de 25 anos, os homens dedicam 35% do seu tempo livre a olhar para ecrãs.

Os jovens britânicos gastam 14 horas semanais, mais de um terço do seu tempo livre, a utilizar dispositivos eletrónicos como smartphones, computadores portáteis e tablets, de acordo com dados de 2015 recolhidos pelo Gabinete de Estatísticas Nacionais britânico.

Entre os britânicos com menos de 25 anos, os homens dedicam 35% do seu tempo livre a olhar para ecrãs 2015, sendo que as mulheres gastam 29%.

Estes jovens utilizam os dispositivos eletrónicos para hobbies, trabalhos informáticos e jogos e 20% do tempo é usado para o “descanso” que, na linguagem dos utilizadores de aparelhos eletrónicos passa por fazer buscas na Internet e utilizar o chat no telemóvel.

Os dados demonstram que os inquiridos olha constantemente para ecrãs não apenas no contexto laboral mas também no seu tempo livre, à medida que o ócio e as relações sociais transferiram-se dos espaços físicos para as redes sociais.

A definição do Gabinete de Estatísticas Nacionais britânico de “tempo de ócio” exclui o trabalho não remunerado, como as tarefas domésticas e cuidar de crianças. Também é excluído o tempo passado a estudar, a deslocar-se para ir para o trabalho e as atividades fundamentais como comer e dormir, assim como o trabalho remunerado.

Recomendadas

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Vieira da Silva desaconselha mudança da lei das pensões. “É mais sensato suspender”

Para o ex-ministro Vieira da Silva, seria mais sensato suspender a lei da atualização das pensões, não sendo este o momento para proceder a alterações à fórmula legal.

Médicos dão prazo de duas semanas para Ministério da Saúde marcar reunião

“Já fizemos seguir o pedido de reunião ao senhor ministro [da Saúde, Manuel Pizarro] e solicitámos que essa reunião se desenvolva com a celeridade que deve e estabelecemos um limite para nas próximas duas semanas sermos convocados para essa reunião”, adiantou Noel Carrilho.
Comentários