JPP pede a secretário regional da Educação que cumpra com as promessas feitas aos docentes

A deputada Patrícia Spínola pede ao executivo que as promessas tenham efeitos práticos e que se dignifique o trabalho dos professores.

O JPP pediu ao secretário regional da Educação, Jorge Carvalho, que as promessas que fez aos docentes não sejam somente boas intenções mas que tenham efeitos práticos. A deputada Patrícia Spínola realçou que é necessário que haja respeito pela classe e dignificação do trabalho dos professores.

Patrícia Spínola referiu que o executivo deve mudar “as suas opções políticas” substituindo “o despesismo com o betão” pela valorização do “trabalho educativo e formativo dos professores”.

A deputada do JPP alertou o Governo Regional para a importância de “não se adiar” a negociação da recuperação de todo o tempo de serviço congelado uma promessa, que recorde-se, foi acordada com o Sindicato dos Professores da Madeira (SPM).

Patrícia Spínola recorda o entendimento que existiu, entre o executivo e o SPM, e a garantia dada por Jorge Carvalho, que reforçou na Assembleia Regional “a concretização deste processo através de um faseamento” que “não se arrastará indefinidamente no tempo”.

O SPM e a Secretaria Regional da Educação vão começar um processo negocial em janeiro de 2018.

Recomendadas

Madeira: Movimento de passageiros nos aeroportos da Região cresceu cerca de 40% face a 2019

No aeroporto da Madeira, e no mês em análise, o tráfego de passageiros distribuiu-se equitativamente entre o tráfego doméstico (47,4% do total) e o tráfego internacional (52,6%).

Funchal: Aldeia de Natal abre a 9 de dezembro com regresso do comboio e prolongamento do horário de funcionamento

Outro aspeto destacado por Cristina Pedra foi a renovação do design e imagem da Aldeia de Natal e que inclui uma árvore de Natal de nove metros, bem como diversos pinheiros naturais, que  quando acabar o evento voltarão ao Parque Ecológico do Funchal.

Madeira: Aprovado relatório da Comissão de Inquérito à linha de crédito INVEST-RAM

O relatório mereceu os votos favoráveis PSD e do CDS-PP, os votos contra do PS, partido proponente do inquérito, e a abstenção do PCP.
Comentários