JPP quer aumento de funcionários operacionais no SESARAM

A deputada Patrícia Spínola alerta para o muito trabalho que os funcionários operacionais do Serviço Regional de Saúde possuem e que por isso não conseguem dar resposta às obrigações do seu serviço.

O JPP vai apresentar na Assembleia Legislativa da Madeira duas recomendações ao Governo Regional no sentido de aumentar o número de funcionários operacionais no Serviço Regional de Saúde (SESARAM) e também de reforço nos serviços de apoio domiciliário.

A deputada do JPP Patrícia Spínola chama a atenção para o “muito trabalho” que os atuais funcionários operacionais do SESARAM possuem e que devido a isso “não conseguem responder às obrigações do seu serviço”. Este reforço de recursos humanos nesta área recomendado pelo partido tem por objetivo “uma maior qualidade do serviço e também dos cuidados aos utentes”.

Já quanto ao reforço do serviço de apoio domiciliário este visa “uma maior resposta social às famílias”. Patrícia Spínola diz que estes serviços “continuam a ser insuficientes” para as carências que se fazem sentir na Região.

“Esta resposta é uma responsabilidade do Instituto de Segurança Social e nós apelamos para que seja reforçado o número de ajudantes domiciliárias”, alerta Patrícia Spínola.

A deputada do JPP na Assembleia da Madeira recorda que o Governo Regional se tinha comprometido a aumentar o número dos funcionários no serviço de apoio domiciliar.

Recomendadas

Madeira: Sociedade Metropolitana de Desenvolvimento disponibiliza máquina ATM Express na Praça CR7

As caixas ATM são especialmente direcionadas para os turistas, sector que têm vindo a atingir valores históricos na Região.

Madeira supera 1,1 milhões de dormidas no alojamento turístico em agosto

As estimativas para as dormidas de agosto de 2022 superam em 67 mil o valor do mês anterior, passando assim a constituir o registo mensal mais alto de sempre observado no alojamento turístico da Região.

Madeira investe 923 mil euros na reabilitação da ER 103 entre o Terreiro da Luta e o Poiso

Pedro Fino explicou que esta obra não foi financiada com fundos europeus, mas que a Região aguarda a abertura do novo quadro comunitário, contando que deverá haver enquadramento para o financiamento da reabilitação desta estrada.
Comentários