Juan Carlos regressa a Espanha após dois anos em exílio dourado (com áudio)

O rei emérito vai participar de uma regata na Galiza mas antes vai encontrar-se com o filho. De recordar que Juan Carlos saiu da Espanha há dois anos e que esta é a primeira visita desde que se instalou nos Emirados Árabes Unidos.

Na Galiza já aguardam a chegada do rei emérito nos próximos dias para participar numa regata que se vai realizar neste fim de semana em Sanxenxo, segundo o “La Vanguardia”. No regresso a Espanha após dois anos de ausência, Juan Carlos vai encontrar-se com o filho em Madrid.

“A sua primeira visita a Espanha [desde que foi viver Emirados Árabes Unidos]  vai ser em Sanxenxo, onde se sente confortável e tem muitos amigos, é uma ótima notícia para nós”, disse o novo presidente da junta da localidade galega, Alfonso Rueda.

A viagem, segundo o autarca de Sanxenxo, já está decidida, o que não se sabe é se Juan Carlos I participará da regata que começa na sexta-feira ou se só vai assistir. “Estamos muito satisfeitos por poder mostrar-lhe o carinho que sentimos por ele depois de quase dois anos de ausência”, disse o autarca.

Tudo parece indicar que antes de chegar a Sanxenxo, Juan Carlos vai encontrar-se com o seu filho, o Rei. Depois da visita, o rei emérito regressara aos Emirado Árabes Unidos. Em comunicado, é também explicado que Juan Carlos assegurou também que não tinha intenção de residir, durante a sua estadia em Espanha, em qualquer residência oficial da coroa espanhola. Isto exclui a possibilidade de utilizar o Palácio da Zarzuela, mas é provável que se desloque ao Palácio para ver o filho e o resto da família real.

A visita ocorre depois de em abril a Procuradoria do Supremo Tribunal ter concluído que não existiam indícios de crimes nas atividades económicas de Juan Carlos.

A 3 de agosto de 2020, o rei emérito comunicou ao seu filho Filipe VI a sua “decisão ponderada de sair da Espanha” e deixou de residir no Palácio da Zarzuela, onde vivia há 58 anos. A sua decisão sucedia as investigações iniciadas pelos promotores suíços e espanhóis sobre os supostos fundos de Juan Carlos sediados em paraísos fiscais. O rei emérito esteve desaparecido durante duas semanas e alimentou muita especulação na imprensa do país vizinho.

A 17 de agosto, o paradeiro revelado quando o Palácio Real divulgou comunicado a explicar que “sua Majestade, o rei dom Juan Carlos indicou à Casa de Sua Majestade que se mudou para os Emirados Árabes Unidos”, onde permanece desde então.

Os problemas de Juan Carlos I remontam ao verão de 2018, quando agentes da Polícia Judiciária da Suíça enviados pelo promotor Yves Bertossa começaram a investigar o gestor de fundos Arturo Fasana.

 

Recomendadas

Síria: Rússia propõe manter por seis meses envio de ajuda humanitária a zona rebelde

A Rússia propôs emendas a um projeto de resolução apresentado pela Irlanda e Noruega e reduziu o período para as entregas. Apelou ainda para o aumento dos esforços que garantam entregas de ajuda humanitária “completas, seguras e sem restrições” ao longo das linhas de conflito na Síria, indicou a agência noticiosa Associated Press (AP).

EUA: Taxas de juros mais restritivas podem ser necessárias para conter a inflação

No entanto, consideraram que tais medidas são necessárias para desacelerar os aumentos de preços com vista à meta anual de 2%.

França vai assumir 100% do controle da empresa de energia EDF

A decisão, anunciada em sessão no Parlamento, acontece num momento em que as tarifas de eletricidade não páram de subir, situação agravada com a guerra na Ucrânia. O Estado retira assim de bolsa a EDF.
Comentários