Juros da dívida de Portugal sobem a dois, cinco e dez anos

Por volta das 9:27 em Lisboa, os juros a dez anos estavam a subir para 1,882%, contra 1,870% na quinta-feira e a subir em relação aos 1,740% na quinta-feira passada, um mínimo desde maio de 2015.

Os juros da dívida portuguesa estavam hoje de manhã a subir a dois, cinco e dez anos em relação a quinta-feira.

Por volta das 9:27 em Lisboa, os juros a dez anos estavam a subir para 1,882%, contra 1,870% na quinta-feira e a subir em relação aos 1,740% na quinta-feira passada, um mínimo desde maio de 2015.

No prazo de cinco anos, os juros estavam também a subir para 0,406%, contra 0,394% na quinta-feira.

A dois anos os juros estavam igualmente a subir para -0,118%, contra -0,178% na quinta-feira e o mínimo de sempre de -0,401% em 05 de dezembro.

Os juros de Espanha estavam a descer a dois anos e a subir a cinco e dez anos, enquanto os da Itália subiam a dois anos para -0,283%, avançavam a cinco anos para 0,707%, bem como a dez anos para 1,964%.

Relacionadas

Economia cresce, mas inflação teimosa dá dores de cabeça

Bancos centrais deram esta semana os últimos passos da política monetária deste ano e começaram a traçar o caminho do próximo. As perspetivas económicas são positivas, mas a subida dos preços continua a falhar metas.

Respostas Rápidas: Porque Portugal está a reembolsar o FMI tão rapidamente?

O ministério das Finanças tem estado a antecipar o pagamento do empréstimo de 26,3 mil milhões de euros contraído junto do FMI, no quadro do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF), em 2011 e que durou até 30 de junho de 2014.
Recomendadas

China diz que EUA estão a enviar “sinais perigosos” sobre Taiwan

O ministro dos Negócios Estrangeiros chinês deixou claro que uma escalada das atividades independentistas torna difícil um acordo pacífico, no que diz respeito a Taiwan,

Vieira da Silva desaconselha mudança da lei das pensões. “É mais sensato suspender”

Para o ex-ministro Vieira da Silva, seria mais sensato suspender a lei da atualização das pensões, não sendo este o momento para proceder a alterações à fórmula legal.

Médicos dão prazo de duas semanas para Ministério da Saúde marcar reunião

“Já fizemos seguir o pedido de reunião ao senhor ministro [da Saúde, Manuel Pizarro] e solicitámos que essa reunião se desenvolva com a celeridade que deve e estabelecemos um limite para nas próximas duas semanas sermos convocados para essa reunião”, adiantou Noel Carrilho.
Comentários