Juros do crédito habitação desce após cinco meses a subir

A taxa de juro implícita no conjunto dos contratos de crédito à habitação diminuiu 0,2 pontos base (p.b.) em comparação com o mês de outubro. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu para os 1,452%, menos 0,7 p.b. que o registado no mês anterior.

A taxa de juro implícita no crédito à habitação desceu para os 1,049% no mês novembro, menos 0,2 pontos base (p.b), o que representa uma queda após cinco meses de subida, segundo os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quinta-feira.

Desde maio de 2018, que a taxa de juro vinha em crescendo, tendo começado nos 1,031%, até aos 1,051% do passado mês de outubro. Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro foi 1,452% em novembro (1,459% no mês anterior).

Nos contratos realizados nos últimos três meses, a taxa de juro desceu para os 1,452%, menos 0,7 p.b. que registado no mês anterior (1,459%), de acordo com o INE.

Em termos da prestação média vencida o valor permaneceu nos 243 euros. Deste valor, 46 euros (19%) corresponderam ao pagamento de juros e 197 euros (81%) a capital amortizado. No que toca aos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio da prestação aumentou dois euros em novembro, sendo agora de 329 euros.

O capital médio em dívida para a totalidade dos contratos de crédito à habitação subiu 192 euros, sendo agora de 52.352 euros. Em relação aos contratos celebrados nos últimos três meses, o valor médio do capital em dívida desceu 169 euros, passando a ser de 98.911 euros.

Relacionadas

Juros da casa aumentaram para 1,051% em outubro

Capital em dívida dos contratos de crédito à habitação diminuiu 13 euros, fixando-se agora nos 52.160 euros. Já a prestação média mensal aumentou um euro face ao mês de agosto, sendo agora de 243 euros, segundo o INE.

Nova taxa de juro chega dentro de um ano. Quem é a ESTER?

O BCE anunciou que a nova taxa de juro ‘euro short-term rate’ (ESTER) irá ser publicada pela primeira vez em outubro de 2019. Esta irá juntar-se à atual Euro Interbank Offered Rate (Euribor), que continuará a ser o benchmark para as taxas com maturidades acima de uma semana.
Recomendadas

Os 10 cisnes negros de 2023: UnBrexit? Ouro nos três mil dólares? Macron demite-se?

Estes são os 10 eventos mais improváveis de acontecer no próximo ano.

Banco do Canadá sobe taxas de juro em 50 pontos base para 4,25%

O Banco do Canadá aumentou hoje as taxas de juro em 50 pontos base, para 4,25%, acima do esperado e o nível mais alto desde o início de 2008.

JE Podcast: Ouça aqui as notícias mais importantes desta quarta-feira

Da economia à política, das empresas aos mercados, ouça aqui as principais notícias que marcam o dia informativo desta quarta-feira.
Comentários