Justiça alemã multa Daimler em 870 milhões de euros por escândalo de emissões

Com esta multa a Daimler junta-se, assim, a outras fabricantes automóveis alemães que foram alvo de sanções pelo escândalo da manipulação de emissões de gases poluentes.

Mercedes-Benz

O Ministério Público de Estugarda impôs esta terça-feira uma multa de 870 milhões de euros à Daimler por manipulação de emissões de poluentes nos seus veículos. A justiça alemã argumenta que as inconsistências entre as emissões reais de óxidos de nitrogénio de certos modelos a diesel da dona da Mercedes-Benz, Smart e Freightliner representam um “incumprimento negligente da obrigação de supervisão por parte da administração”.

Com esta multa a Daimler junta-se, assim, a outras fabricantes automóveis alemães que foram alvo de sanções pelo escândalo da manipulação de emissões de gases poluentes. Em comunicado, a multinacional explica que o valor total consiste numa parte sancionatória sanção e noutra de disgorgement [fundos recebidos através de transações ilegais ou antiéticas que são devolvidos].

“O montante da parte sancionatória é de 4 milhões de euros pela violação negligente dos deveres de supervisão assumidos pelo procurador público. É, portanto, abaixo da quantidade máxima legal. O valor da parte do desembolso é determinado principalmente pela lucratividade da empresa e totaliza 866 milhões de euros”, pode ler-se nessa nota. “A cooperação total da empresa e as consideráveis medidas de controlo de qualidade que foram estabelecidas no contexto do sistema técnico de gestão de conformidade foram consideradas em benefício da empresa”, sublinha a fabricante liderada por Dieter Zetsche.

A decisão dos procuradores, conhecida hoje, encerra o processo aberto contra a Daimler, uma vez que a empresa garantiu que não irá recorrer. Além disso, a Daimler assegura que a coima – oriunda de uma chamada às oficinas de 684 veículos do grupo – não terá impacto nos resultados do terceiro trimestre de 2019. O Dieselgate ‘rebentou’ em 2015 com o grupo Volkswagen e levou o grupo a pagar multas de mais de 2 mil milhões de euros, incluindo aquelas que foram impostas às suas subsidiárias Audi e Porsche.

Recomendadas

Galp vai investir mais de cinco mil milhões no Brasil

A companhia quer investir mais na produção de petróleo, mas também nas energias renováveis.

Klarna permite pagamentos faseados em 870 marcas em Portugal (com áudio)

Prestes a completar o primeiro ano de operação em Portugal, a fintech sueca ultrapassou a marca dos 200 mil utilizadores nacionais da aplicação que permite dividir os pagamentos em três fases.

Prémio “João Vasconcelos – Empreendedor do ano 2022” atribuído aos fundadores da Coverflex

O prémio de “Empreendedor do Ano” foi entregue pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Carlos Moedas, e por Bernardo Correia, ‘country manager’ da Google Portugal, entidade parceira desta edição.
Comentários