Keppel Offshore vai pagar 422 milhões de dólares para encerrar acusações de suborno

Em comunicado o Departamento de Justiça dos Estados Unidos refere que foram pagos cerca de 55 milhões de euros com o intuito de garantir 13 contratos com a Petrobras e outra companhia.

A Bloomberg avança que a Keppel Offshore concordou em pagar 422 milhões de dólares para encerrar as acusações devido a pagamentos ilegais a oficiais da Petrobras e também ao partido que estava na altura no governo brasileiro.

Um comunicado do Departamento de Justiça dos Estados Unidos explica que foram pagos cerca de 55 milhões de euros com o intuito de garantir 13 contratos com a Petrobras e outra empresa.

A autoridade judicial norte-americana acrescenta que os pagamentos faziam parte de “comissões extraordinárias a um intermediário” que eram disfarçadas como “acordos de consultoria”.

A advogada Bridget Rohde diz que o sistema financeiro, que inclui o sistema bancário norte-americano, foi utilizado para “disfarçar a fonte” e o “desembolso desses pagamentos” passando fundos através de uma série de “empresas de fachada”.

As provas resultaram do trabalho de autoridades também do Brasil e de Singapura.

O ‘chairman’ da Keppel, Lee Boon Yang, referiu que lamenta estas acções nestes negócios no Brasil, entre 2001 e 2014, acrescentando que estes pagamentos ilegais “são errados” e “não vão ser tolerados”.

Os 422 milhões de dólares serão distribuídos entre os Estados Unidos, Brasil e Singapura.

Recomendadas

PremiumJustiça mantém-se como principal custo de contexto dos empresários portugueses

Apesar de uma ligeira melhoria em relação a 2017, o peso do sistema judicial na atividade das empresas continua a ser o principal entrave à sua produtividade. PRR não traz melhorias.

PremiumPorto Law Summit debate sociedades multidisciplinares

As sociedades multidisciplinares – formadas por advogados e outros profissionais – estão a chegar. O bastonário Luís Menezes Leitão, que se recandidata ao cargo, não está disponível para as aceitar.

Duarte Lima sujeito a apresentações periódicas às autoridades

A informação foi adiantada pelo Conselho Superior da Magistratura, após indicação da Comarca de Lisboa Oeste. Esta medida de coação junta-se ao termo de identidade e residência que tinha na condição de arguido deste processo.
Comentários