Khashoggi e jornalistas detidos eleitos como Personalidade de Ano 2018 pela ‘Time’

“Por correrem grandes riscos ao perseguir as maiores verdades, pela jornada imperfeita mas essencial pelos factos que são centrais para o discurso civil, por falarem e divulgarem, os guardiões – são a Personalidade do Ano da TIME”, justifica a revista.

Moises Saman—Magnum Photos for TIME

A revista “Time” escolheu os jornalistas assassinados e detidos como “Personalidade do Ano” de 2018. A publicação revelada esta terça-feira, 11 de novembro, tem como capa desta edição especial o jornalista Jamal Khashoggi.

Entre os profissionais mencionados pela revista, para além do colunista do “Washington Post”, Jamal Khashoggi, integram na lista a ex-chefe da sucursal da “CNN” nas Filipinas Maria Ressa, os profissionais do jornal “Capital Gazette”, em Annapolis (EUA), e os profissionais da agência “Reuters”.

Jamal Khashoggi foi o 28º jornalista assassinado em 2018

Para justificar a escolha, a “Time” citou o número recorde de jornalistas presos a nível global – o Comité de Proteção dos Jornalistas registou 262 casos em 2017.

“Por correrem grandes riscos ao perseguir as maiores verdades, pela jornada imperfeita mas essencial pelos factos que são centrais para o discurso civil, por falarem e divulgarem, os guardiões – Jamal Khashoggi, “The Capital Gazette”, Maria Ressa, Wa Lone e Kyaw Soe Oo – são a Personalidade do Ano da TIME”, justifica a revista.

Nesta edição, a revista falou ainda sobre uma avalanche de ‘desinformação’ nas redes sociais, e a forma como os governos norte-americanos e filipinos classificam como ”fake news” as reportagens que criticam os seus governos.

Recomendadas

Musk avança para a compra do Twitter e ações disparam 22%

O CEO da Tesla, Elon Musk, voltou atrás na negociação e concordou em comprar o Twitter pelo preço original acordado de 44 mil milhões de dólares. As negociações da tecnológica na bolsa norte-americana foram interrompidas aquando do anúncio e retomaram a valorizar 22%.

Amazon congela contratações para a área de retalho

A gigante do comércio eletrónica pausou todas as contratações de executivos para a sua unidade de retalho e interrompeu os processos de recrutamento em curso. Também Google, Apple e Meta já tomaram medidas semelhantes.

Celsius. Depois da insolvência, CEO e co-fundador de saída

O co-fundador e Chief Strategy Officer da Celsius, uma plataforma de criptomoedas, S. Daniel Leon, está de saída. A decisão foi conhecida uma semana depois da demissão do CEO, Alex Mashinky, e poucos meses depois do aberto o processo de insolvência.
Comentários