Kiev prepara acusações de guerra contra militares russos (com áudio)

Segundo a Procuradora-Geral da Ucrânia, Iryna Venediktova, uma grande parte dos suspeitos está atualmente na Rússia, apesar de alguns militares estarem na Ucrânia como prisioneiros de guerra.

Kiev está a preparar acusações de crimes de guerra contra três pilotos russos que terão bombardeado edifícios civis nas regiões de Kharkiv e Sumy e a pelo menos sete militares russos, de acordo com informação revelada pelo gabinete do procurador-geral ucraniano à “Reuters”.

A mesma entidade avançou ainda que dois operadores de um lançador de foguetes que terão levado a cabo ataques na região de Kharkiv, bem como dois militares suspeitos de assassinar um residente da região de Kiev e de violar a sua esposa, estão a ser investigados.

Os suspeitos já terão sido notificados pelo Ministério Público, que tem em curso várias investigações sobre a responsabilidade dos mesmos nos ataques. Contudo, ainda não foi apresentada qualquer acusação ao tribunal.

A Ucrânia está a investigar cerca de 7.600 potenciais crimes de guerra, havendo pelo menos 500 suspeitos.

Segundo a Procuradora-Geral Iryna Venediktova, uma grande parte dos suspeitos está atualmente na Rússia, apesar de alguns militares estarem na Ucrânia como prisioneiros de guerra.

Venediktova sublinhou que tenciona prosseguir judicialmente tanto nos tribunais nacionais da Ucrânia como no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, nos Países Baixos.

Moscovo tem vindo a rejeitar as acusações de crimes de guerra de que é alvo, tanto de Kiev como das nações ocidentais.

Recomendadas

CEO da Microsoft destaca plataforma para ajudar a Ucrânia criada por português

Satya Nadella diz que o “Ukraine Live Aid”, para prestar apoio aos refugiados ucranianos, foi um dos trabalhos “significativos” e “muito necessários” que feitos com as Power Pages da Microsoft.

Ocidente deve ser mais brando com a Rússia e a Ucrânia deve ceder, defende Kissinger

Segundo o ex-secretário de Estado dos EUA, os líderes europeus não devem perder de vista o relacionamento de longo prazo com a Rússia, nem devem arriscar empurrá-la para uma aliança permanente com a China. O antigo campeão de xadrez Garry Kasparov disse que essa posição, para além de imoral, foi provada errada repetidamente.

Mais de 200 corpos encontrados em cave de Mariupol

Informação foi avançada por Petro Andryushchenko, conselheiro do presidente da câmara de Mariupol.
Comentários