PremiumLagarde carrega ‘bazuca’ europeia com mais 500 mil milhões de euros

O Banco Central Europeu adicionou meio bilião de euros e nove meses à ‘bazuca’, numa recalibragem que alinha as medidas com o efeito da vacina na economia.

Temporário, direcionado e flexível. O ‘envelope’, tal como Christine Lagarde apelida o Programa de Compras para a Emergência Pandémica (PEPP, na sigla em inglês), saiu esta quinta-feira da oficina do Banco Central Europeu recalibrado, maior e mais durável, de forma a ficar alinhado com o impacto das vacinas anti-Covid que estão a ser preparadas para o mundo nos laboratórios das farmacêuticas.

“O que decidimos fazer, tal como adiantámos na reunião de outubro, foi a recalibragem dos instrumentos que determinámos como os mais eficazes nas atuais circunstâncias pandémicas”, disse Lagarde, presidente do BCE, na conferência de imprensa a seguir à reunião do Conselho de Governadores. Em concreto, o BCE aumentou o PEPP em 500 mil milhões de euros, para um total de 1,850 biliões e estendeu o horizonte de compras líquidas para pelo menos até o final de março de 2022, do anterior prazo de junho de 2021.

O outro instrumento recalibrado foi o pacote de financiamento de longo prazo para a banca. Trata-se da terceira série das TLTRO, operações de política monetária não convencional, para conceder empréstimos de longo prazo à banca e incentivar a concessão de crédito às empresas e aos consumidores e aumentar a liquidez. O BCE prolongou a série em 12 meses, até junho de 2022, e criou três operações de financiamento de longo prazo que serão realizadas entre junho e dezembro de 2021.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumPutin une extremos na oposição ao Ocidente

As franjas mais extremas europeias convergem no apoio a Putin, unidas por um antiamericanismo reforçado, à esquerda, por uma orfandade do comunismo soviético e, à direita, pela admiração por um regime iliberal e autocrático.

PremiumPara saudar o regresso de um majestoso Jaen

Serve este texto para saudar a aposta de um produtor do Dão, a Caminhos Cruzados, integrada há cerca de dois anos no grupo da Quinta da Pacheca (no Douro), na comercialização de um monovarietal de uma das castas mais singulares que se produzem em Portugal: a Jaen (Mencia, em Espanha). Há quem diga que em relação à Jaen, ou se ama ou se detesta.

PremiumFada ou bruxa? Uma duquesa que incomoda muita gente

Valentine Low relata que uma das funcionáriasque trabalhava para Meghan foi agredida verbalmente “sem razão aparente” pela duquesa poucos dias antes do casamento
Comentários