Legislativas: CDS aprova critérios para escolha de candidatos a deputados com 91% dos votos

De acordo com fonte oficial do CDS-PP, 113 conselheiros nacionais votaram a favor (91,13%), seis votaram contra (4,84%) e cinco abstiveram-se (4,03%).

O Conselho Nacional do CDS-PP aprovou hoje, com 91% dos votos, os critérios propostos pela direção do partido para a escolha dos candidatos a deputados nas eleições legislativas de 30 de janeiro, disse à Lusa fonte oficial centrista.

De acordo com fonte oficial do CDS-PP, 113 conselheiros nacionais votaram a favor (91,13%), seis votaram contra (4,84%) e cinco abstiveram-se (4,03%).

A proposta de critérios de designação de candidatos às eleições legislativas, apresentada pela direção de Francisco Rodrigues dos Santos, refere que “a escolha dos candidatos deve recair sobre personalidades de reconhecido mérito e idoneidade, com ligação ao círculo pelo qual se candidatam, e que não se encontrem em situação de incompatibilidade, impedimento ou de inelegibilidade”.

“A designação dos candidatos deve obedecer aos princípios da renovação e da abertura à sociedade, e respeitar as regras da paridade”, refere também a proposta.

O documento, ao qual a Lusa teve acesso, indica também que compete à Comissão Executiva (órgão mais restrito da direção), “ouvidas as distritais, propor os candidatos na primeira posição pelos 18 círculos eleitorais do continente, na segunda, terceira e quarta posições pelo círculo de Lisboa e na segunda e terceira posições pelo círculo do Porto”.

Os restantes candidatos serão propostos e ordenados pelas distritais do partido.

Em 2019, a direção de Assunção Cristas também escolheu os cabeças de lista aos 18 distritos e os primeiros candidatos em Lisboa (cinco) e no Porto (três).

Já os candidatos dos círculos eleitorais da Madeira e Açores serão escolhidos pelos respetivos órgãos regionais, à semelhança do que aconteceu há dois anos.

Outra semelhança é que a proposta da Comissão Executiva deverá incluir também um candidato da Juventude Popular. Em 2019, o atual presidente do partido, Francisco Rodrigues dos Santos, então líder da estrutura que representa os jovens do CDS, foi segundo na lista pelo Porto.

A direção vai indicar ainda os candidatos pelos círculos da Europa e Fora da Europa.

Uma vez escolhidos os candidatos, caberá ao Conselho Nacional – órgão máximo do partido entre congressos – aprovar as listas de candidatos a deputados.

Os conselheiros aprovaram também uma coligação com o PSD no círculo eleitoral da Madeira, por proposta dos órgãos regionais. De acordo com fonte oficial do partido, esta coligação foi aprovada por unanimidade.

A mesma fonte indicou que foi ainda aprovado, também por unanimidade, um voto de louvor ao líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, e aos deputados Cecília Meireles e João Almeida que anunciaram que vão deixar o parlamento no final desta legislatura e não integrarão as listas de candidatos a deputados.

O Conselho Nacional extraordinário e convocado com caráter de urgência começou na sexta-feira à noite, pelas 21:00, e terminou já de madrugada.

Os conselheiros estiveram reunidos por videoconferência e, além de aprovarem os critérios para a escolha dos candidatos a deputados e a coligação pré-eleitoral com o PSD na Madeira, discutiram ainda as linhas do programa eleitoral que o partido vai apresentar às eleições legislativas.

Em declarações aos jornalistas antes do arranque da reunião, o líder centrista, Francisco Rodrigues dos Santos, indicou que o CDS está a preparar um compromisso eleitoral com “15 medidas-chave” de “rutura com o socialismo”.

O eurodeputado Nuno Melo, que ia disputar a liderança do CDS com o atual presidente e recandidato, não participou na reunião e apelou aos conselheiros que fizessem o mesmo.

Recomendadas

José Luís Carneiro, das comunidades portuguesas no estrangeiro à Administração Interna

José Luís Carneiro é o novo ministro da Administração Interna e regressa a um ministério no qual já desempenhou o cargo de assessor entre 1999 e 2000. O antigo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas tem uma forte ligação ao poder local.

PS conquista dois mandatos do círculo da Europa e reforça maioria absoluta para 120 deputados

Depois de na primeira votação, a 30 de janeiro, PS e PSD terem conquistado um mandato cada um no círculo da Europa, na repetição da votação, o PS acabou por eleger o cabeça-de-lista pelo círculo, Paulo Pisco, mas também o segundo nome na lista, Nathalie de Oliveira.
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Legislativas: Governo diz que votaram 152 emigrantes no fim de semana

Segundo o Governo “esse número representa um acréscimo de 31% face aos 116 cidadãos que exerceram o seu direito de voto presencial” a 30 de janeiro.
Comentários