Legislativas: Costa diz que Açores devem ser “vacina” contra “vitória de toda a direita”

O secretário-geral do PS apresentou hoje a vitória socialista no dia 30 como garantia de estabilidade ao país, apontando a coligação do Governo regional açoriano como “vacina” para impedir “uma vitória de toda a direita, incluindo da extrema-direita”.

TIAGO PETINGA/LUSA

“Estando aqui nos Açores, quero recordar que, quando o PS não tem maioria, apesar de ter ganho, no dia seguinte acordam com um governo de toda a direita unida e nem sequer a extrema-direita do Chega ficou de fora do acordo parlamentar que viabilizou o Governo [Regional dos Açores] do PSD”, afirmou António Costa, num discurso em Vila Franca do Campo, nos Açores.

O líder do PS espera que a experiência das eleições regionais de 2020 nos Açores “tenha sido uma vacina para todo o país”, de modo a que “todo o país se mobilize para uma vitória do PS” que impeça “uma vitória de toda a direita, incluindo da extrema-direita, do Chega” nas legislativas antecipadas de dia 30.

”Portugal precisa de estabilidade e os portugueses merecem tranquilidade. Que ninguém deixe de votar, para garantir a estabilidade de que o país necessita e a maioria do PS para ter estabilidade durante quatro anos”, defendeu.

“Só votando é que garantimos estabilidade e a maioria do PS, sem a qual não há estabilidade no país. Todos às urnas para uma grande vitória e para uma maioria do PS”, frisou.

Com o primeiro dia de campanha eleitoral oficial passado nos Açores e no concelho que, em 2019, foi o mais abstencionista do país, António Costa apelou ao voto com o exemplo das eleições legislativas regionais de 2020, que retiraram ao PS o poder nos Açores após mais de 20 anos de maioria.

Naquele sufrágio, o PS perdeu a maioria absoluta, elegendo 25 dos 57 deputados do parlamento açoriano, e o PSD subiu ao poder, após uma coligação com o CDS-PP e o PPM, além de acordos parlamentares com o Chega e a Iniciativa Liberal.

António Costa falava no concelho açoriano de Vila Franca do Campo, onde discursou na cerimónia de apresentação da lista socialista pelo círculo eleitoral dos Açores tendo em vista as eleições legislativas antecipadas de 30 de janeiro.

Sem mencionar o nome do líder do PSD, Costa não deixou de acompanhar as críticas do líder do PS/Açores, Vasco Cordeiro, sobre a ausência prevista de Rui Rio na região autónoma durante a presente campanha eleitoral

“Para quem quer ser primeiro-ministro de todos os portugueses e portuguesas, não é possível uma campanha nacional para a Assembleia da República que não venha aos Açores. Os Açores são Portugal e fazem de Portugal um país atlântico”, alertou Costa.

Antes, Vasco Cordeiro, líder do PS/Açores, disse não ter razão “para esconder o candidato socialista a primeiro-ministro”.

Manifestou não ter surpresa pela “omissão de Rui Rio” nos Açores, pois “noutras eleições disse que os Açores não eram fortuna nenhuma [em termos de votos]”.

Os Açores elegem cinco deputados para a Assembleia da República, sendo que nas últimas legislativas três foram eleitos pelo PS e dois pelo PSD, que no dia 30 se apresenta a votos pelo círculo eleitoral açoriano em coligação com o CDS-PP e o PPM.

Relacionadas

Legislativas: António Costa diz que um político não afirma a sua credibilidade “com graçolas”

O secretário-geral do PS afirmou hoje, nos Açores, que o presidente do PSD, Rui Rio, “tinha obrigação de saber o que era o voto antecipado” e sustentou que um político não afirma a sua credibilidade “com graçolas”.

Legislativas: Rio classifica publicação sobre voto antecipado de Costa como “brincadeira”

O presidente do PSD, Rui Rio, classificou como “uma brincadeira” a publicação que fez hoje sobre o voto antecipado de António Costa, dizendo que a campanha eleitoral também tem de ser “alegre e com alguma piada”.

Legislativas: Rui Rio acusa PS de deturpar propostas do PSD e insistir na mentira

O presidente do PSD, Rui Rio, acusou hoje o PS “de deturpar” as propostas sociais-democratas e de insistir na mentira, como a privatização da Segurança Social, para “amedrontar” as pessoas.
Recomendadas

José Luís Carneiro, das comunidades portuguesas no estrangeiro à Administração Interna

José Luís Carneiro é o novo ministro da Administração Interna e regressa a um ministério no qual já desempenhou o cargo de assessor entre 1999 e 2000. O antigo secretário de Estado das Comunidades Portuguesas tem uma forte ligação ao poder local.

PS conquista dois mandatos do círculo da Europa e reforça maioria absoluta para 120 deputados

Depois de na primeira votação, a 30 de janeiro, PS e PSD terem conquistado um mandato cada um no círculo da Europa, na repetição da votação, o PS acabou por eleger o cabeça-de-lista pelo círculo, Paulo Pisco, mas também o segundo nome na lista, Nathalie de Oliveira.
eleições_legislativas_voto_urna_votar

Legislativas: Governo diz que votaram 152 emigrantes no fim de semana

Segundo o Governo “esse número representa um acréscimo de 31% face aos 116 cidadãos que exerceram o seu direito de voto presencial” a 30 de janeiro.
Comentários